Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O dia de São José, Padroeiro do Ceará, existe boa possibilidade de chuva em todas as regiões do estado, segundo Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

Segundo o órgão para segunda-feira (19) há “nebulosidade variável com períodos de chuva na faixa litorânea, na serra da Ibiapaba, no sertão do Inhamus e no Cariri. Nas demais regiões, há possibilidade de chuva”.

Choveu em pelo menos 30 municípios cearenses desde às 7h de domingo (18) até a manhã desta segunda-feira (19), segundo balanço da Funceme. As maiores precipitações foram nos municípios de Santa Quitéria, com 40,1 milímetros, e Aurora, com 36 milímetros.

Foram registrados precipitações também nas cidades de Pacujá com 35,4 milímetros, Juazeiro do Norte (30,0 milímetros), Meruoca (23 milímetros), Mauriti (22 milímetros), Umari (19 milímetros), Mucambo (19 milímetros), Araripe (17,4 milímetros) e Missão Velha (16,2 milímetros).

Previsão para o dia terça-feira

  • Ao longo do dia, nebulosidade variável com possibilidade de chuva na faixa litorânea, serra da Ibiapaba e região Jaguaribana.

Previsão para quarta-feira

  • Nebulosidade variável com possibilidade de chuva na faixa litorânea e sul do estado. Nas demais áreas, céu parcialmente nublado.

Apesar das boas chuvas, nos meses de janeiro e fevereiro, as precipitações não foram suficientes para deixar açudes com bom aporte. Segundo estudo da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) 112 açudes ainda estão com volume inferior do que é esperado.

Onze açudes estão com volume acima de 90% e sete açudes sangram no estado são eles: Acaraú Mirim (Massapê), Caldeirões (Saboeiro), Itaúna (Granja), Tucunduba (Senador Sá). Cocó (Fortaleza), Germinal (Palmácia) e Colina (Quiterianópolis).

O Rio Salgado, principal aquífero a abastecer o Castanhão, tem uma cheia com o acúmulo de água das chuvas do mês de fevereiro. Em Aurora, no Cariri, as águas do Salgado correm quase no nível da ponte que dá acesso ao município.

As águas do Salgado já resultaram em um aumento do volume do Castanhão, maior açude do país. A reserva do Castanhão subiu em menos de um mês de 2,22% para 3,81% da capacidade máxima.

O Açude Orós acumula no momento apenas 6,32%. Já o Banabuiú continua praticamente seco, com 0,44% do seu volume total. O nível médios dos 155 açudes monitorados pela Cogerh) é de 8,4%, segundo último levantamento.

Chuvas acima da média em todas as regiões do estado, exceto parte central e leste, extinguiram a situação de ”seca excepcional” e reduziu a ”seca extrema”. São alterações significativas nas condições climáticas do estado, segundo estudos do Monitor de Secas do Nordeste do Brasil.

De acordo com o Monitor, as reduções menores foram observadas nas condições de seca grave, seca moderada e seca fraca, ocasionando inclusive o aparecimento de área sem seca relativa em todo litoral.

Essas mudanças, ocasionadas principalmente pelas chuvas registradas no mês de fevereiro, fez com que, em praticamente todo estado, a seca que era de impacto curto e longo prazo, passasse a ser de longo prazo, com uma pequena exceção no extremo sul onde permanece de curto e longo prazo.

Com informação do G1

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp