Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O governador Camilo Santana afirmou que a suspensão temporária de novos concursos, chamadas e homologações de servidores, anunciada na semana passada, deve voltar a ser analisada a partir do segundo semestre. A declaração foi feita nesta segunda-feira (3), no VII Seminário Prefeitos do Ceará 2019, evento realizado pelo TCE e a Aprece.

Segundo o governador, a decisão de suspender a entrada de novos servidores no quadro da administração estadual se deve ao cenário de incertezas em que vive a economia brasileira, que tem visto as previsões de crescimento decaírem.

Há uma incerteza muito grande na economia brasileira, e isso afeta estados e municípios. Então a gente precisa ter muita responsabilidade e é isso que temos feito. Aguardar como vai ser a economia no segundo semestre para poder tomar as decisões, apontou o governador.

Segundo o governador, a prioridade da gestão é manter um equilíbrio fiscal que garanta serviços de qualidade à população e aumente a arrecadação. Uma nova análise da saúde fiscal do Estado deve ser realizada em setembro, quando a suspensão de novos concursos deve ser reavaliada.

Camilo Santana ainda ressaltou que o Ceará foi o estado que mais aumentou despesa com pessoal no ano passado. De acordo com a gestão estadual, em 2018, a folha de pagamento cresceu 11,60% ante o ano anterior, além de uma elevação de 9,71% entre janeiro e abril de 2019, em relação ao mesmo período de 2018.

A suspensão de concursos públicos faz parte de um pacote de medidas adotadas pelo governo do Estado visando controlar os gastos da máquina pública. Além do veto a novas contratações, não há reajustes salariais programados para este ano. Apenas professores e agentes de saúde deverão ter alguma atualização salarial devido a obrigações legais.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp