Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Um dos pleitos históricos das forças militares do Ceará, a lei que permite o fluxo contínuo nas carreiras das corporações, supera a marca de 13 mil beneficiados no Estado em apenas três anos. As promoções de 2017, celebradas nessa quinta-feira, 21, em Fortaleza, somam mais 1.847 policiais e bombeiros militares à conta dos agraciados desde 2015, quando a lei, de autoria do governador Camilo Santana, entrou em vigor. A repercussão anual na folha de rendimentos do Estado com as promoções de 2017 é de aproximadamente R$ 12 milhões apenas com a diferença salarial dos agraciados.

Em 2015, o total de promovidos foi de 8.891 militares, na maior promoção da história das duas corporações, com 10 cerimônias realizadas em nove cidades. No ano seguinte, 1.732 militares ascenderam de graduação. Para além das solenidades de fim de ano, cerca de 800 profissionais também se graduaram em outros momentos do ano, como quando da sanção da Lei dos Subtenentes, que beneficiou 456 militares de uma vez com a entrada no oficialato.

Uma novidade da lei é a instituição das Promoções Requeridas, por meio das quais os militares recebem uma graduação final ao se aposentarem das respectivas carreiras. Do total de promoções deste ano, 150 serão na modalidade Requerida, enquanto que 1.697 por merecimento e antiguidade.

Assinada pelo governador Camilo Santana em 22 de abril de 2015, a lei que permite as promoções foi aprovada por unanimidade pelos deputados e sancionada no dia 25 de maio, durante a solenidade de comemoração dos 180 anos da Polícia Militar do Ceará. A medida institui um fluxo regular e automático na carreira dos oficiais e praças estaduais. Apenas 29 militares seriam beneficiados em 2015 sem a existência da lei.

Com informação da A.I