Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Auditores-fiscais da Receita Federal de todo o Brasil estarão em greve nesta quinta-feira e ainda entre os dias 16 e 18 (terça a quinta) de maio, com reflexos inevitáveis na Aduana. No Ceará, a atividade de greve ocorre na Alfândega do Porto de Fortaleza, com uma operação padrão. O retorno à mobilização ocorre porque a Medida Provisória 765/2016, que trata de questões relacionadas ao cargo de audi-tor-fiscal e a outras categorias, passou a sofrer ameaças de

desfiguração. De acordo com a categoria, a MP, em sua versão original, já deixou de atender parte do acordo firmado com o Governo Federal. Além da ame-aça de desfiguração do texto, a MP corre risco de caducar diante da tramitação lenta no Congresso Nacional. A data limite para a aprovação da MP no plenário da Câmara e do Senado é 1° de junho próximo. No entanto, a MP ainda não foi sequer apreciada na Comissão Mista instalada especialmente para esse fim.

MECÂNICA FRANCESA

O Senai Ceará e o grupo francês PSA, dono das marcas Cintröen e Pegeaut, celebraram parceria por meio da qual o Senai torna-se o centro de treinamento e forma-ção de mecânicos de automóveis para as revendas Cintroen e Pegeaut no Nordeste brasileiro. Equipamentos que serão utiliza-

dos nas aulas práticas dos cursos, como automóveis Cintroen e Pegeaut e toda a ferramentaria, já se encontram em Fortaleza. Os cursos de formação de mecânicos de automóveis Renaut e Cintröen começarão em julho, no Sesi da Barra do Ceará, em Fortaleza.

 

INFLAÇÃO EM QUEDA

A inflação de Fortaleza em abril desacelerou e ficou em 0,08% pelo IPCA amplo. Em março, o índice havia ficando em 0,66%. Os dados foram divulgados pelo IBGE esta semana. Com o resultado de abril, a inflação dos últimos doze meses é de 5,86%, a menor taxa em doze meses desde os 3,74% de julho de 2007 e 0,83 ponto percentual

inferior aos 4,57% acumulados nos doze meses encerrados em março. Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) da capital cearense teve desacelera-ção de 0,52 ponto percentual na passagem de março para abril, saindo de 0,64% para 0,12%. No ano, o índice acumula alta de 1,86% e de 6,19% nos últimos 12 meses.

PRODUÇÃO INDUSTRIAL I

Já a produção industrial no Ceará caiu no primeiro trimestre de 2017, em relação a igual período de 2016, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional, divulgados pelo IBGE.

O Estado registrou o segundo maior recuo (-2,2%) entre os que integram o levantamento. No comparativo entre março deste ano e igual mês de 2016, o recuo na produção industrial cearense foi de 3,8.

PRODUÇÃO INDUSTRIAL II

A principal influência sobre essa queda, segundo o IBGE, veio do setor de coque, produtos derivados de petróleo e biocom-bustíveis (-56,8%). Esse número é explicado, principalmente, pela menor fabricação de óleos combustíveis e asfalto de petró-leo, esse último item produzido e comercializado pela Refinaria Lubrificantes e Derivados do Nordeste (Lubnor).