Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), da rede pública do Governo do Ceará, garante à população, há quatro anos, o serviço especializado de identificação de pessoas com tipos sanguíneos raríssimos. Atualmente, o Banco de Sangue de Doadores Raros do Hemoce tem 80 doadores de sangue que apresentam diferentes tipos sanguíneos raros no mundo.

Cada vez que um voluntário doa sangue no Hemoce, as amostras coletadas são avaliadas pelo laboratório de Imuno-Hematologia. O material colhido passa por um processo de análise e testes que incluem tipagem ABO e RH e pesquisa de anticorpos irregulares. Durante as análises é verificado se existem fenótipos raros e anticorpos irregulares. Ao longo dos quatro anos de implantação do banco, foram identificados 80 doadores de sangue do Hemoce possuem tipos sanguíneos raros.

Toda a triagem imuno-hematológica do doador de sangue da hemorrede pública do Ceará é feita no laboratório especializado do Hemoce, em Fortaleza, utilizando equipamento de alta tecnologia. São 41 profissionais da saúde entre médicos, bioquímicos, biólogos, técnicos de enfermagem, biomédicos, técnicos e auxiliares de laboratório envolvidos na identificação de doadores com fenótipos raros. Desde a implantação do banco, nove fenótipos raros foram detectados, entre eles o fenótipo Bombay, raríssimo no mundo.