Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Academia Cearense de Direito, encaminhou ofício a secretaria do Turismo de Fortaleza, apelando por mudanças no projeto “Praia Acessível”.

A entidade considera a iniciativa “das melhores, porque contempla os portadores de necessidades especiais”, mas considera o horário das atividades do projeto prejudicial para a saúde desse segmento.

“O horário a disposição dos portadores de necessidades especiais é das 9 às 14 horas, considerado, por qualquer entidade médica ou de saúde, nocivo ao corpo humano, gerando, inclusive uma incidência maior de câncer de pele”, diz o ofício.

Quer que o horário do projeto seja modificado, priorizando o aconselhado pelos órgãos de saúde: das 7 às 10 horas e das 16 às 17h30min, ou a distribuição gratuita de protetor solar para os frequentadores.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp