Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Hospital de Saúde Mental de Messejana Professor Frota Pinto (HSM) inicia nesta terça-feira (4) o treinamento de 250 profissionais de todas as categorias para o acolhimento humanizado de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBTT). A capacitação faz parte do programa de implantação do serviço especializado para processo de transexualização. Serão realizados cinco encontros entre os dias 4 e 21 de julho, para apresentação do serviço de transexualização e discussão sobre a política de saúde para a população LGBTT.

No último mês, o secretário de Saúde do Ceará, Henrique Javi, anunciou a implantação do primeiro ambulatório especializado no atendimento a pessoas trans do Ceará. Com o novo ambulatório especializado –  que iniciará suas atividades em setembro –  a população LGBTT terá assistência multidisciplinar, acesso ao tratamento hormonal adequado, além de exames laboratoriais e de imagem necessários ao processo transexualizador.

A transexualização é um processo complexo de saúde, por isso, antes das cirurgias, há uma avaliação e acompanhamento ambulatorial com equipe multiprofissional, com assistência integral no processo de readequação. Para ambos os gêneros, a idade mínima para procedimentos é de 18 anos. Esses procedimentos incluem acompanhamento multiprofissional e hormonoterapia.

O Ministério da Saúde financia os procedimentos necessários para o processo transexualizador, mas a implantação é feita a partir do credenciamento de novos serviços. Desde 2008, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece cirurgias e procedimentos ambulatoriais para pacientes que precisam fazer a redesignação sexual (mudança de sexo, tanto de homem para mulher quanto de mulher para homem). Entre 2008 e 2016, ao todo, foram realizados 349 procedimentos hospitalares e 13.863 procedimentos ambulatoriais relacionados ao processo transexualizador.

Com informações Governo do Estado do Ceará