Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Na última semana, pacientes do serviço Elo de Vida do Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto participaram de uma homenagem, que contou com a presença dos filhos e familiares. Durante o encontro foram exibidos vídeos com mensagens de afeto e cuidado. Os pacientes tiveram a oportunidade de falar sobre suas experiências de recuperação na unidade e demonstraram imensa alegria em ter a oportunidade de sair das drogas.

Para o paciente Marcos Torres, 59, a reintegração familiar é mais um estímulo para sua recuperação.

“Estou lutando para sair dessa e estou conseguindo com a ajuda dos profissionais que atuam neste hospital. Nos últimos seis anos da minha vida usei drogas. Agora, em recuperação, voltei a ter o amor dos meus filhos, o respeito e o carinho que havia perdido. Nada é mais importante do que se sentir integrado novamente à família”, relata.

Todas as quartas-feiras familiares dos pacientes reúnem-se para receber orientações sobre o tratamento que está sendo realizado e para ajudar no processo em casa, quando o paciente retorna para casa.

“Para que o tratamento seja bem-sucedido é necessário o apoio da família. Nesses encontros cuidamos de cada familiar orientando e esclarecendo as dúvidas”, diz Sandra Coelho, terapeuta ocupacional e gestora do Elo de Vida.

Os pacientes atendidos pelo serviço Elo de Vida recebem acompanhamento de psicólogos, psiquiatras, terapeutas ocupacionais e assistentes sociais, além de participar de atividades esportivas, artesanais, musicoterapia, celebrações de datas comemorativas, passeios e cursos profissionalizantes desenvolvidos com instituições parceiras.

Hospital Dia

O Hospital Dia – Elo de Vida é um serviço do Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto direcionado a adultos, usuários de álcool e outras substâncias, que desejam buscar tratamento. O programa conta ainda com a participação de familiares, como condição para recuperação e reintegração sociofamiliar dos pacientes. No serviço, 24 pessoas estão sendo acompanhadas. O tratamento prevê um período de cinco meses, no mínimo, podendo ser prorrogado. A permanência no Hospital Dia é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, com retorno para residência ao final do dia.

 

 

 

 

(*)com informação do Governo do Estado do Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp