Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O número de internos dentro de sala de aula cresceu entre 2018 e 2019. Este ano, cerca de 3.450 presos estudam dentro do sistema prisional do Ceará, incluindo as unidades da Região Metropolitana de Fortaleza e interior do estado. Já em 2018, a quantidade de detentos era de 1.693, ou seja, 1.757 presos foram inseridos nas salas de aulas.

O aumento é resultado de uma parceria entre a Secretaria da Administração Penitenciária e a Secretaria de Educação do Estado (Seduc) que possibilitou que mais mil internos tivessem acesso a educação nas unidades prisionais do Ceará. As turmas são desde o fundamental (alfabetização) até o ensino médio. São 22 professores envolvidos nessa ampliação no número de alunos. Os novos internos foram selecionados tanto pela Secretaria da Administração Penitenciária, quanto pela Secretaria de Educação do Estado.

Os detentos estão divididos em 10 unidades prisionais. O Centro de Detenção Provisória (CDP) é o que tem o maior número de salas, são sete ao todo. A cadeia pública de Juazeiro do Norte e o Institutto Penal Professor Olavo Oliveira (IPPOO 2) estão com três turmas. Com duas salas de aula cada estão as Penitenciárias de Sobral (PIRS), Cariri (PIRC) e o Centro de Triagem e Observação Criminológica (CTOC). A Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL 2), Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Jucá Neto (CPPL 3), a Unidade Prisional Desembargador Adalberto de Oliveira Barros Leal (Caucaia) e a cadeia pública de Acopiara completam a lista com uma sala de aula cada.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp