Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Escolhido um dos cinco pré-candidatos do PDT à Prefeitura de Fortaleza, o deputado federal Idilvan Alencar disse, em entrevista aos jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida, no Jornal Alerta Geral, que ficou surpreso e tomou um susto ao entrar na lista dos nomes que o partido apresentou na corrida pela sucessão do prefeito Roberto Cláudio. Além de Idilvan, estão como pré-candidatos os deputados estaduais José Sarto e Salmito Filho, o ex-secretário de Governo, Samuel Dias, e o ex-sercretário regional Ferrúcio Feitosa.

“Eu levei foi um susto quando me chamaram, eu sou novo na política, comecei recentemente, eu tenho experiência em gestão. Fui secretário de Educação por dez anos, executivo e titular, fui presidente do FNDE. Então a gestão pública eu me animo e motivo, agora esse movimento político eu fiquei assustado, mas recebi com orgulho”, pontuou o deputado Idilvan.

Idilvan disse que vai enfrentar o debate para o PDT escolher um candidato competitivo, está motivado para discutir os problemas da cidade e pregou o diálogo para construção de uma ampla aliança partidária. Ao falar que é preciso construir o diálogo, Idilvan Alencar recomendou que, nesse momento, é preciso engolir palavras que foram ditas.

“Essa questão de discutir problema de cidade e poder ajudar, isso me motiva, eu gosto. Eu como Secretário de Educação sempre tive muito presente nas escolas, gostando que melhorasse as coisas, com equipamento, com reforma, eu gosto muito da gestão pública e tenho experiência. E acho que o Brasil tá pagando caro por ter entrado numa aventura, e as pessoas estão com essa questão que ser prefeito tem que ter uma certa experiência”, disse ele.

O pedetista alfinetou os adversários, disse que quem se propõe a administrar a cidade precisa ter experiencia e, em recado direto ao pré-candidato do PROS, Capitão Wagner, o aconselhou a assumir as companhias políticas.

“Eu sou uma pessoa do diálogo, essa coisa de divergência, do ódio, eu tô fora disso. Agora eu acho que o povo tem que assumir suas companhias, se tem um candidato a prefeito que anda com Bolsonaro e Carla Zambelli, então bota cada um do lado dos braços e vai caminhar na cidade, não pode tá dizendo que não é, ou é ou não é”, declarou o pedetista.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp