Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

No total, a iniciativa prevê aquirir 2.600 cestas e kits de higiene com distribuição para 23 entidades socioassistentenciais com atuação ao público em situação de vulnerabilidade social, como abrigos de idosos, associações de moradores e catadores de lixo. A iniciativa ainda chegará aos municípios de Capistrano, Santana do Acaraú, Juazeiro do Norte, Crato, Fortaleza, Altaneira, Pindoretama e Cascavel. O investimento previsto é de R$ 300.427,50.

O Termo de Convênio viabilizado e realizado pela Ematerce foi firmado entre a Coopaefarc e envolve outras cinco cooperativas. Os objetivos, segundo o órgão da Secretaria do Desenvolvimento Agrário, é gerar renda para os agricultores familiares e se solidarizar ao público de baixa renda.

“Perdemos aproximadamente 40% das vendas que tínhamos com um público formado por restaurantes, lanchonetes e também para merenda escolar”, relata Airton Kern, presidente da Cooperfam.

“Mesmo com a entrega por meio de delivery, dos 21 funcionários que tínhamos, três tiveram que ser suspensos temporariamente até nos ajustarmos melhor. Nesse período, a Ematerce e a Fundação nos ajudaram bastante e estamos felizes em prestar esse apoio às pessoas mais carentes”, completa o representante da Cooperativa Agroecólogica da Agricultura Familiar do Caminho de Assis.

Cooperação e superação

As cestas incluem 6 kg de arroz e feijão, banana, melão, 2 kg quilos de macaxeira e batata doce, 1 kg de hortalicas (coentro, cebolinha, alface e pimentão, 1kg de farinha, 2kg de legumes e 2 kg de polpas de frutas. Os kits de higiene englobam álcool em gel, troucas, luvas, máscaras e sabão em barra.

“Além de lavar roupa em várias casas, também faço doces, bolos e participei de cursos aqui na Associação (Comunitária dos Moradores do Cajueiro)”, narra Mirlane dos Santos, de 35 anos.

A associação de moradores é mantida pela contribuição de 60 associados e, além de prestar trabalho social, oferece cursos gratuitos para o público de baixa renda. Para a presidente do grupo, Francisca Luz Cavalcante Alves, o Proteja e Salve Vidas tem caráter social e econômico, “porque viabiliza o sustento de famílias inteiras, num momento onde muitas perderam renda, tiveram salário reduzido e passam muita dificuldade”, justifica.

(*)com informação do Governo do Estado do Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp