Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O casal de marqueteiros de campanhas eleitorais do PT, João Santana e Mônica Moura, e o funcionário André Luis Reis Santana prestam depoimento a partir das 9h desta segunda-feira, 24, no Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA). Todos são delatores na Operação Lava Jato e vão falar na Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) 194358, que pede a cassação da chapa Dilma/Temer, reeleita em 2014.

Os depoentes informaram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a impossibilidade de comparecimento à audiência anteriormente marcada para o dia 17 de abril. O casal tinha audiências anteriormente agendadas em Curitiba.

A realização de novas oitivas antes de dar continuidade à análise de mérito da ação foi decidida pelo Plenário do TSE, em julgamento ocorrido no dia 4 de abril.

A Corte tomou a decisão ao examinar duas questões de ordem na abertura do julgamento da chapa presidencial Dilma-Temer. Após as oitivas será dado prazo de cinco dias para as alegações finais das partes.

Caixa 2. No início de Abril, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), homologou as delações premiadas do marqueteiro, de sua mulher e do funcionário do casal André Reis Santana.

Em 18 de abril, Monica Moura confessou caixa 2 ao juiz federal Sérgio Moro. Segundo a mulher de João Santana, ‘era uma exigência dos partidos que tivesse sempre a maior parte em caixa 2’.

Monica Moura declarou que ela e João Santana trabalham juntos na Polis Propaganda, ‘que é nossa agência’, há 15 anos. “Nós somos casados, vivemos juntos há 18 anos.”

“Todas as campanhas políticas que nós fizemos, todas da Polis e antes da Polis, quando eu era apenas uma funcionária de outras campanhas, de outros marqueteiros, sempre trabalhamos com caixa 2, com recursos não contabilizados, em todas as campanhas”, afirmou.

Com informações O Estado de São Paulo