Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Beneficiada pelo comércio e pelos serviços, a criação de empregos com carteira assinada atingiu, em novembro, o oitavo mês seguido de crescimento. Só no Ceará, foram 4.860 novas postos de trabalho, resultado de 32.262 admissões e 27.402 desligamentos. O Estado é o sétimo no ranking de geração de empregos. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), da Secretaria de Trabalho do MInistério da Economia. O indicador mede a diferença entre contratações e demissões.

O Estado gerou o melhor saldo do Nordeste em novembro e a Capital concentrou a maioria, com 3.188 vagas. Outros municípios como Caucaia e Tianguá também registraram resultados positivos. Em todo país, foram criados 99.232 postos formais de trabalho no último mês. Este foi o melhor nível de abertura de postos de trabalho para novembro desde 2010. Ao todo, de janeiro a novembro foram 948.344 vagas de empregos criadas.

Na divisão por ramos de atividade, apenas três do oito setores pesquisados criaram empregos formais no último mês. O campeão foi o comércio seguido pelo setor de serviço. Em terceiro lugar, vêm os serviços industriais de utilidade pública, categoria que engloba energia e saneamento. Por outro lado, o nível de emprego caiu na indústria de transformação, na agropecuária e na construção civil.

A geração de emprego em novembro costuma ser marcado pelo reforço no comércio para as contratações de fim de ano. No entanto, a indústria, que reforçou a produção em agosto e em setembro por causa do Natal, desacelera.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp