Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Motoristas e cobradores de ônibus de Fortaleza fecharam por uma hora na manhã desta terça-feira (9) o terminal do Bairro Siqueira em Fortaleza. De acordo com diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Ceará (Sintro), Flávio Braz, o protesto teve dois objetivos.

Primeiro em protesto contra a morte do cobrador de ônibus que teve 90% do corpo queimado durante ataques a transportes coletivos no mês de abril, e também por aumento salarial.

Flávio Braz disse que os motoristas pararam os ônibus no terminal e fizeram panfletagem alertando a população sobre a insegurança dentro dos coletivos.

“Foi um ato pacífico e contamos com o apoio da população. Não há como os motoristas e cobradores trabalharem com a insegurança que aí está. Nosso amigo não teve direito de defesa e queremos que os suspeitos sejam punidos”, afirmou.

Morte do cobrador

O cobrador José Nunes de Sousa Neto, que teve 90% do corpo queimado durante um ataque a um coletivo em Fortaleza, morreu na manhã dessa segunda-feira (8), de acordo com o Instituto Doutor José Frota (IJF).

Sousa Neto, 56 anos, foi queimado durante um ataque ao veículo em que ele trabalhava, no dia 20 de abril, no Bairro Canindezinho. Ele chegou a ser socorrido para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e depois precisou ser transferido ao IJF.

O ônibus em que a vítima estava foi incendiado em frente a Escola Municipal Jornalista Demócrito Dummar, na Comunidade Jardim Fluminense. Criminosos pararam o veículo e atearam fogo. O cadeirante não conseguiu sair a tempo do veículo e teve o corpo queimado com queimaduras de primeiro e segundo graus.

O Sindicato das Empresas de Ônibus lamentou e divulgou uma nota de “pesar e indignação”. Segundo o sindicato, Sousa Neto foi um “exemplar trabalhador” e atuava como cobrador desde 1979.

Nota de falecimento

É com muito pesar e indignação que lamentamos a morte do funcionário da empresa Fretcar, José Nunes de Sousa Neto, vítima da prática criminosa e recorrente de incêndios a ônibus e que tem colocado em risco a vida de trabalhadores do transporte e cidadãos.

Infelizmente, essa última série de ataques vitimou um exemplar trabalhador do nosso sistema de transporte, que estava conosco desde 1979 e que deixou a todos que atuam no setor de transporte de Fortaleza profundamente consternados. Além da Fretcar, José Nunes já foi funcionário da Auto Viação São José e da Autoviária São Vicente de Paulo.

Em nome de todo o sistema de transporte, manifestamos os nossos mais profundos sentimentos de dor e pesar pela irreparável perda.

Com informações G1 – CE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp