Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O educador Mozart Neves Ramos será o ministro da Educação do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Fontes ouvidas pelo Estado afirmam que a oficialização deve sair entre hoje e amanhã.

A escolha de Mozart acontece após a aproximação de Viviane Senna, presidente do Instituto Senna, ao grupo de Bolsonaro. O futuro ministro é um dos nomes mais conhecidos da educação atualmente no País. É atualmente diretor do Instituto Ayrton Senna, mas o primeiro diretor executivo do Todos pela Educação e secretário de Educação de Pernambuco.

Formado em química e ex-reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Ramos esteve ao lado de Viviane em todas as reuniões feitas com o presidente eleito durante e depois da eleição.

Ramos não é vinculado a nenhum partido e, por isso, transita bem pela esquerda e pela direita. Tem boas relações inclusive com Fernando Haddad (PT), candidato derrotado por Bolsonaro nas eleições. Eles se aproximaram durante o período em que Ramos ocupou a secretaria de Estado, entre 2003 e 2006, no governo de Jarbas Vasconcelos (MDB). Haddad era o ministro.

No Todos pela Educação,  notabilizou-se por estudos que mostravam a falta de professores no País, principalmente para áreas de ciências.

Seu nome foi visto com otimismo por especialistas da área, mas há a preocupação sobre o que ele fará com relação às pautas defendidas pelo presidente eleito, como Escola sem Partido, colégios militares e educação a distância.

Com informações Estadão

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp