Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Certificadas pela Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS) como Município Cearense Promotor da Política das Pessoas com Deficiência (PcD), várias cidades do Interior já implantam e executam ações de proteção, atenção e inclusão produtiva desse público. Jucás, no Centro-Sul do Estado, lança, na próxima semana, o Selo Jucaense de Acessibilidade e Inclusão nas Empresas, e Iguatu, na mesma região, criou um podcast específico para pessoas com deficiência.

As iniciativas são resultados de desafios lançados aos municípios, em 2020, pela SPS, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Pessoa Idosa e Pessoa com Deficiência (Copid), dentro do programa Ceará Acessível.

“Hoje, já temos 13 empresas que assinaram o termo de participação da campanha do Selo. Nossa meta é conquistar o compromisso de 20 empresas neste primeiro ano”, conta a coordenadora municipal de Políticas para as Pessoas com Deficiência de Jucás, Aglaenny Leite.

O projeto, já aprovado na Câmara Municipal, busca sensibilizar empresários e comerciantes de Jucás, para contratarem mais pessoas com deficiência, fortalecendo a autoestima e a autonomia produtiva desse segmento. Dados do Censo IBGE 2010 mostram que o município conta com cerca de sete mil pessoas com algum tipo de deficiência física e cognitiva e que, pelo menos, 500 recebem o Benefício de Proteção Continuada (BPC).

“Quando um município é promotor da política significa que ele se propõe efetivar a acessibilidade e a inclusão. Isso é importante não só para pessoas com deficiência, mas para toda sociedade. Os municípios cearenses entenderam a oportunidade de mudanças e têm aderido a essa proposta de forma muito significativa. Estão de Parabéns”, destacou a coordenadora da Copid, Vyna Leite.

Em Iguatu, novas ações do Plano Municipal da Pessoa com Deficiência (PMPD) são a geração de um podcast com pautas diversas e específicas para o segmento, e a implantação de uma Central de Interpretação e Audiodescrição em Libras (Ciadi) para apoiar deficientes auditivos, visuais e com baixa visão.

“Estamos criando um podcast para ser divulgado em rádio, com profissionais do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) abordando temas diversos e quebrando tabus sobre as deficiências silenciosas”, observa a articuladora do PMPD de Iguatu, Keylane Thurley.

“Iguatu aceitou o desafio da Copid/SPS e também definiu um calendário com a Secretaria de Educação e o Centro de Atendimento Educacional Especializado (CAEE), para formação de agentes sociais, de trânsito, comunitários de saúde, recepcionistas e demais servidores municipais”, acrescenta Keylane Thurley. O objetivo é treiná-los e qualificá-los para melhor atender e acolher pessoas com eficiência nos órgãos públicos, sem barreiras e preconceitos, e de maneira mais humanizada.

O Conselho Municipal do setor está constituído e Iguatu realiza, no momento, diagnóstico para conhecer a situação atual das pessoas com deficiência. Neste ano, os municípios de Guaramiranga, Ocara, Itapiúna, Baturité, Mulungu, São Gonçalo do Amarante, Paracuru e Aquiraz também já conquistaram a certificação e estão empreendendo políticas públicas sociais previstas em seus planos de trabalho.

Serviço

Os municípios podem buscar auxílio da Coordenadoria para orientação sobre as políticas para pessoa idosa e com deficiência. O telefone é (85) 3433-1233. A Copid fica na Rua Valdetário Mota, 970, no Papicu. Ou na Central de Interpretação de Libras (CIL), pelos telefones: (85) 9.9115-1515 e (85) 9.9413-1000.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp