Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em 2018, as apostas esportivas foram banidas nos EUA, e se esperava que Nova York fosse o primeiro dos maiores mercados a permitirem a prática novamente. E mesmo que as projeções de sucesso do setor fossem grandes, já que os cidadãos vinham querendo abandonar as apostas ilegais há algum tempo, o resultado foi muito além das expectativas. Isso porque, neste final de março, saiu uma notícia impressionante: os nova-iorquinos apostaram quase US$500 milhões em apenas uma semana.

Isso ocorreu logo depois do estado regulamentar o mercado de apostas mobile. Somente duas semanas depois do lançamento, Nova York já havia batido o recorde dos Estados Unidos em um mês inteiro: mais de um bilhão de dólares foram apostados em 16 dias, em apenas cinco das nove operadoras atuando no estado. No final da quinta semana de regulamentação, os nova-iorquinos já haviam palpitado quase US$2.5 bilhões – cerca de US$500 milhões por semana.

A liberação foi feita no dia 8 de janeiro, quando apenas 5 das 9 operadoras possuíam licença para atuar no território. Nos primeiros 14 dias, foram US$1.18 bilhão em apostas.

Para as vias de comparação, Nova Jersey havia batido o recorde mensal do país em outubro de 2021, com US$1.3 bilhão apostados.

            Explicação

No Brasil, as apostas esportivas e cassinos ainda não são permitidos, mas os brasileiros já se divertem com o mercado completamente virtual que pode existir por aqui. Por exemplo, os melhores cassinos online no Brasil se tornaram incrivelmente populares nestes últimos anos, criando uma base enorme de jogadores que aproveitam uma grande variedade de títulos em diversas modalidades, como jogos de mesa, bingo, caça-níqueis, raspadinhas, roletas, ou até mesmo o tradicional jogo do bicho.

Em Nova York, até mesmo as opções virtuais eram ilegais, e os usuários estavam aguardando por um bom tempo pela legalização – mais tempo até do que os seus estados vizinhos. Com a crescente demanda, a adição de mais operadoras e alguns grandes eventos esportivos acontecendo em 2022, já se esperava que os apostadores fossem gastar bastante – mas não tanto. Neste ritmo de arrecadação, a cidade/estado poderá mais do que dobrar o valor estimado no início do ano, que seria de US$1 bilhão no primeiro ano de liberação.

A diretora administrativa de jogo da GeoComply, Lindsay Slader, disse, resumindo a reação da indústria aos números apresentados: “Nova York não falhou em nos surpreender. A grande maioria de usuários estão apenas começando no mercado de apostas esportivas regulamentado dos EUA: os dados nos mostram que nova-iorquinos estão abandonando operadoras ilegais pelas novas opções legais, e operadoras também estão sendo bem-sucedidas ao atraírem apostadores de primeira-viagem”.

A empresa GeoComply descobriu que pelo menos 1.2 milhões de habitantes do estado se registraram em algum site de apostas no primeiro final de semana após a liberação, superando ambas Nova Jersey e Pensilvânia combinadas no mesmo período. Dessas pessoas, 878 mil eram apostadores “únicos”.

            Operadoras

As cinco operadoras atuando durante o período foram a Caesars, FanDuel, DraftKings, Rush Street e a BetMGM. Enquanto a Caesars liderou, com US$41.8 milhões em rendimentos, a FanDuel (da Flutter) e sua rival, DraftKings, ficaram um pouco abaixo, em segundo e terceiro lugar – com US$24.2 milhões e US$21.8 milhões, respectivamente. Já as em seguida vieram a Rush Street e a BetMGM, que levaram para  casa US$2.5 milhões e US$1.2 milhões cada uma, respectivamente.

As outras quatro licenciadas entraram depois, e por isso perderam alguns eventos esportivos bastante relevantes para o setor, como o March Madness e o Super Bowl. A Pointsbet, por exemplo, entrou para o grupo na última semana de janeiro, mas a Bally’s disse que só chegaria em abril. A WynnBet entrou a tempo do SuperBowl no final de fevereiro, mas ainda não tem líder.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp