Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Parque Olímpico da Barra, localizado no Rio de Janeiro, passa por uma fase de transformação para se tornar um legado, acessível a todos. Esse é o novo desafio do governo após a realização dos Jogos Rio 2016.

Em dezembro de 2016, o Ministério do Esporte passou a ser responsável pela gestão das Arenas Cariocas 1 e 2, do Velódromo e do Centro Olímpico de Tênis. Já a prefeitura do Rio de Janeiro ficou a cargo da desmontagem e remontagem do Estádio Aquático, da Arena do Futuro – que será transformada em quatro escolas – e pela Arena Carioca 3, que se tornará um ginásio experimental olímpico – uma escola vocacionada para o esporte, com capacidade para mil alunos.

A concessionária Rio Mais S.A., que fez uma parceria público privada com a prefeitura, também tem atribuições específicas nas áreas comuns do parque, como serviços de limpeza e segurança.

Calendário

Desde que assumiu a administração das instalações, o Ministério do Esporte tem trabalhado na reconfiguração dos quatro equipamentos pelos quais ficou responsável, transformando cada um deles do modo Jogos Olímpicos para o modo legado.

O calendário de uso permanente desses equipamentos já está sendo construído junto às confederações. O plano de uso para o modo legado incluirá treinamento e eventos, tanto de alto rendimento como de base, sem falar em núcleos de iniciação esportiva, inclusão, lazer e participação.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Esporte