Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta quinta-feira, 8, o deputado federal João Rodrigues (PSD) no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. O deputado voltava de viagem a Orlando, nos Estados Unidos, onde estava de férias, com a família.

Na terça-feira, 6, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a execução imediata de pena do parlamentar, condenado a cinco anos e três meses de reclusão em regime semiaberto pelo Tribunal Regional Federal (TRF-4) por fraude e dispensa de licitação.

Em vídeo divulgado na madrugada desta quinta-feira, 8, o deputado afirma que irá reverter a situação e que partiria de Orlando para o Paraguai.

A Polícia Federal identificou a alteração do destino do voo, comunicou ao Supremo Tribunal Federal (STF) e o ministro Alexandre de Moraes autorizou a inclusão do nome do deputado na difusão vermelha da Interpol (Polícia Internacional). O deputado foi impedido de entrar no Paraguai e embarcou para Guarulhos.

João Rodrigues foi condenado em 2009 pelo TRF-4, em Porto Alegre (RS). À época, ele era prefeito de Chapecó (SC) e por isso foi julgado diretamente na segunda instância da Justiça. A acusação, no entanto, refere-se a fatos ocorridos em 1999, quando ele exerceu por 30 dias o cargo de prefeito interino de Pinhalzinho (SC).

Em nota divulgada por meio de sua assessoria de imprensa o deputado disse que acredita na Justiça e que seus advogados vão reverter essa situação. Ele disse que se sente magoado com a decisão e o desfecho do caso.

Com informação do Jornal O Globo