Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

DURANTE ENCONTRO com investidores japoneses no início deste mês, em Brasília, para apresentar o regime brasileiro de ZPE, o diretor da ZPE Ceará, Mário Lima, listou o perfil das empresas instaladas nesse regime especial. A Companhia Siderúrgica do Pecém, projeto âncora da ZPE, teve investimentos iniciais de US$ 5,4 bilhões e gerou 12 mil empregos. As outras três empresas em funcionamento na região, Vale do Pecém, White Martins e Phoenix do Pecém, acumularam investimentos de US$ 294 milhões e geraram mais de 800 empregos. Lima também destacou aos participantes do encontro o posicionamento estratégico da Zona do Ceará para o escoamento da produção. A ZPE fica a 6km do Porto do Pecém, um dos portos mais próximos do Canal do Panamá e, com menos de cinco anos de operação, já foi recentemente apontada pelo relatório FDI Intelligence, do jornal britânico Financial Times, como um projeto altamente recomendável aos investidores estrangeiros.

Mercado Imobiliário
OS PIORES MOMENTOS DA CRISE econômica brasileira parece que ficaram para trás, pelo menos em alguns setores. O mercado de locação imobiliário do Ceará, por exemplo, já sente uma melhora, comparado com 2016. De acordo com balanço da Apsa, em março desse ano, houve um aumento de 27% no número de negócios no Estado em relação ao mês anterior. Em relação ao mesmo mês do ano passado, a alta no número de locações foi de 4%.

Energia
AS TARIFAS DE ENERGIA da Enel Distribuição Ceará, conhecida anteriormente como companhia Energética do Ceará (Coelce), terão um reajuste de 0,15% a partir do próximo sábado, dia 22 de abril. Segundo decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), as tarifas dos consumidores residenciais, que são atendidos em baixa tensão, terão uma redução de 0,39%. Já os consumidores industriais, que são atendidos em alta tensão, terão um aumento de 1,44% nas tarifas de energia. A Coelce atende 3,4 milhões de unidades consumidoras do estado do Ceará.

Boletos I
O NOVO SISTEMA de pagamento dos boletos bancários entra em vigor em junho próximo. A Nova Plataforma de Cobrança promete aperfeiçoar o atual modelo com mecanismos que trazem mais controle e segurança a esse meio de pagamento, dando maior confiabilidade e comodidade aos consumidores.

Boletos II
A GRANDE MUDANÇA proporcionada pelo novo sistema ocorre quando o consumidor (pessoa física ou jurídica) fizer o pagamento, mesmo de um boleto vencido, em outra instituição
financeira que não seja a emissora do documento.