Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente da Executiva Regional do PP, AJ Albuquerque, comemora, na reta final da janela partidária, a chegada do deputado estadual João Jaime e do ex-deputado estadual Moésio Loiola e projeta que a sigla, ao recuperar terreno, elegerá entre quatro e cinco representantes à Assembleia Legislativa. João concorre à reeleição, enquanto Moésio tenta voltar ao Legislativo após dois mandatos como prefeito de Campos Sales.


O PP perdeu para o PSD, na última segunda-feira, os deputados estaduais Fernando Hugo e Lucílvio Girão e, antes ficara sem o apóstolo Luiz Henrique, que migrou para o Republicanos. A saída de Hugo, Girão e Henrique abalou o deputado estadual Zezinho Albuquerque, que se lançou pré-candidato ao Palácio da Abolição, mas mantém as bases eleitorais para uma possível disputa da reeleição ao Legislativo.


O PP, além de João Jaime e Zezinho Albuquerque, fica com uma bancada de quatro parlamentares – os atuais deputados Leonardo Pinheiro e Bruno Pedrosa continuam, até o momento, nos quadros da sigla.
A articulação do ex-vice-governador Domingos Filho, em tirar os dois deputados do PP, foi vista não apenas como estratégia de fortalecer o PSD na corrida à Assembleia, mas, ao mesmo tempo, como desafio de esvaziar o Partido Progressista, ameaçando a sobrevivência eleitoral de Zezinho Albuquerque e filho AJ.

Como resposta à migração de Hugo, Luiz Henrique e Lucílvio, Zezinho intensificou o assédio, nos últimos dias, e, ao conquistar a adesão de João Jaime, originário do DEM, agregou força ao PP. João, que foi reeleito, em 2018, com 56.661 votos, vai disputar o sexto mandato consecutivo. A projeção, entre as lideranças do PP, é que Moésio chega com estimativa de 40 mil votos.


MATEMÁTICA DE ZEZINHO E AJ ALBUQUERQUE


Os cálculos preliminares apontam que, para eleger um representante à Câmara Federal, o partido ou a federação deve somar no Ceará entre 190 mil e 200 mil votos – o chamado quociente eleitoral, que é derivado da divisão do número de votos apurados pela quantidade (22) vagas. Se não alcançar esse número, a sigla fica sem deputado federal.

Reside nessa matemática a angústia de Zezinho Albuquerque: eleito com 132.319 votos, AJ Albuquerque luta para manter a votação tão expressiva de 2018, mas, no quadro atual, ainda não alcançou a projeção dos 200 mil votos para a eleição deste ano. AJ conquistou o mandato porque, na aliança com o PDT, a soma de votos foi suficiente para o êxito nas urnas.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp