Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O debate sobre a melhoria do atendimento em saúde mental no Eusébio foi o foco das discussões nos dois dias da Pré-Conferência Municipal de Saúde Mental, concluída nesta quarta-feira (20). Os presentes debateram formas de integrar todos os órgãos municipais na melhoria da rede, de fortalecimento da política de saúde mental como direito e a garantia dos serviços de atenção psicossocial do SUS.

Nesta quarta-feira, os princípios da integralidade e equidade foram debatidos a partir das falas das especialistas Nara Góes e Graça Viana com relação ao Eixo III. O pensar no cuidado coletivo e na melhor comunicação entre os órgãos que compõem a rede de atendimento foram destacados como prioridade, “precisamos desenvolver esse olhar intersetorial, repensar práticas e descapsular a saúde mental, pois ela não está somente na Secretaria de Saúde”, disse Nara Góes. Já o Eixo IV, que tratou dos impactos na Saúde Mental da população e os desafios para o cuidado psicossocial durante e pós-pandemia, foi tratado por Luzianne Feijó.

Para a coordenadora do CAP’s Geral de Eusébio, Imaculada Mendonça, este é um momento importante de discussão sobre a política de saúde mental.

“Vamos realizar no 28 de abril, no auditório da Fiocruz, a segunda conferência municipal de saúde mental, então decidimos fazer essa pré-conferência para ampliar mais o debate com os segmentos da Educação, Cultura, Esporte, Assistência Social, sem falar da saúde propriamente dita”, observa.

Ela observa que nos dois dias foram debatidos os quatro eixos que norteiam toda conferência de saúde mental, “são eixos que trazem a questão do direito, a importância da intersetorialidade, da dificuldade do ponto de vista do financiamento, de gestão, da participação social, então a contribuição dos profissionais em todas as áreas é fundamental para que agente possa estar elaborando propostas para nosso município”, conclui.

(*) Com informações Prefeitura do Eusébio

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp