Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Dando continuidade às ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), inicia, nesta quinta-feira (27/04), o Dia “D” de combate ao Aedes aegypti nas unidades de saúde de Fortaleza, incluindo postos de saúde, hospitais, Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e sedes administrativas.

A idéia da campanha é que toda semana, na quinta-feira, as brigadas locais de combate ao mosquito realizem a faxina semanal em busca de possíveis criadouros. “A realização da inspeção semanal é importante porque de sete em sete dias, em água parada, o mosquito se reproduz. Podem eclodir cerca de 400 ovos no período de um mês”, explica Renata Mota, coordenadora de Vigilância à Saúde. O Aedes aegypti sobrevive por um periodo curto, em média 45 dias.

A faxina semanal segue check list, que pode ser utilizado por toda a população, que inclui vistoria de possíveis criadouros como tambor, potes, garrafas vazias e baldes, pneus, entre outros recipientes. O chek list e outras orientações acerca dos mosquito Aedes aegypti e as arboviroses podem ser consultados no aplicativo “Xô, Mosquito!”, disponível para celulares e tablet.

Comitê
O Dia “D” de combate ao mosquito Aedes aegypti nas unidades de saúde de Fortaleza é mais uma ação do comitê de políticas públicas para prevenção e ações de combate às arboviroses da Capital. Os encontros semanais articulam ações intersetorias de combate ao mosquito e buscam diminuir a incidência do número de casos em Fortaleza, que, por conta das chuvas, tem cenário ideal para proliferação do vetor.

Além do Dia “D” na saúde, outras ações estão sendo desenvolvidas e implantadas a partir da intersetorialidade proposta pelo Comitê, a exemplo das operações Quintal Limpo e Inverno, a visita e fiscalização de Pontos Estratégicos (PE) e a instituição do Selo Escola Amiga da Saúde: Todos contra o Aedes.

Participam do Comitê, além do prefeito Roberto Cláudio e da SMS, as Regionais, as Secretarias de Governo, Educação, Urbanismo e Meio Ambiente, Conservação e Serviços Públicos, Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Combate à Fome, a Agência de Fiscalização, Coordenadoria de Participação Popular, entre outros órgãos.  A partir desta semana, as reuniões contarão ainda com a participação de sindicatos e entidades representativas de grupos estratégicos para o combate ao Aedes aegypti.

Com informação da A.I