Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Prefeitura de Fortaleza realizou a segunda reunião do comitê de políticas públicas para prevenção e ações de combate de arboviroses da Capital, na manhã desta terça-feira (18/04), no Paço Municipal. Foram articuladas iniciativas intersetoriais para ações de combate ao Aedes aegypti e as doenças causadas pelo mosquito – dengue, zika e chikungunya.

Joana Maciel, secretária da Saúde do Município, comentou a importância do momento para a prevenção e controle das arboviroses. “A nossa expectativa é a melhor possível no que diz respeito ao combate ao Aedes aegypti. Estamos com todos os envolvidos nessas ações, o que possibilitou o surgimento de várias ideias. Tivemos secretarias como de Educação, Conservação, Agefis (Agência de Fiscalização de Fortaleza), Seuma (Secretaria Municipal do Urbanismo e Meio Ambiente), todas com ações direcionadas ao combate ao mosquito. A partir das próximas reuniões, teremos já o acompanhamento delas e nossa expectativa é que, em curto tempo, tenhamos a redução nos casos, especialmente de chikungunya”, afirmou.

Os encontros semanais buscam diminuir a incidência do número de casos das arboviroses em Fortaleza, que, por conta das chuvas, tem cenário ideal para proliferação do mosquito Aedes aegypti. Entre janeiro e abril deste, ano já foram notificados 2.492 casos de dengue, 1.800 de febre chikungunya e 95 de zika.

Nélio Morais, gerente da Célula de Vigilância Ambiental e Riscos Biológicos da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), lembrou ainda que a Prefeitura vem realizando um trabalho intenso com seu corpo funcional especializado por meio de política bem definida para a área de forma programada. “Temos investido no controle do vetor Aedes aegypti com várias atividades. Além do trabalho de rotina que é realizado pelo agente do controle de endemias, educadores e mobilizadores, temos, também, realizado e mantido intervenções especiais, como a Operação Inverno 2017, que começou em outubro de 2016, já prevendo essa situação e cenário de risco que sempre acontece no primeiro semestre do ano. Com a união de esforços, a expetativa é que possamos reduzir os casos de arboviroses na Cidade”, declarou.

Veja as principais ações a serem implementadas e já realizadas compartilhadas no encontro desta terça-feira:

Saúde
O trabalho de capacitação sistemática do corpo de profissionais das unidades de atendimento primário já foi realizado em todos esses centros de atendimento, enfocando, principalmente, a notificação correta das doenças ocasionadas pelo mosquito e atendimento adequado aos enfermos. Os profissionais de hospitais e de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da Cidade também recebem essas formações e já estão preparados para tratar os doentes das arboviroses. Para agilizar os atendimento e encaminhamentos, 19 postos de saúde foram munidos de exames laboratoriais com resultados mais rápido, sala de observação e equipe profissional capacitada para bem tratar fortalezenses.

Educação
As ações da Secretaria Municipal da Educação (SME) apresentadas buscam a prevenção de doenças causadas pelo vetor por meio da divulgação de conhecimento e capacitação de profissionais multiplicadores. No encontro, ficou definido que serão incluídas rotinas temáticas sobre a prevenção das arboviroses na escola para alunos, revitalização de brigadas, formação de professores, monitores e membros das brigadas, ampliando o espectro multiplicadores, além de ações de cuidado e prevenção das doenças nas escolas.

Fiscalização
A Agência de Fiscalização de Fortaleza disponibilizou 500 fiscais para atuarem no combate do Aedes aegypti, por meio da fiscalização de estabelecimentos e atividades relacionadas ao descarte irregular e controle dos resíduos sólidos. Os técnicos do órgão terão reforçados a capacitação para as fiscalizações específicas de prevenção e tomadas de medidas administrativas cabíveis. Essas ações se iniciarão nas regionais com maiores índices de doenças causadas pelo vetor, tendo enfoque, no primeiro momento, nos 70 pontos de foco e de reincidência de arboviroses.

Regionais
Dentro das atividades das Regionais, ficou delegado atenção e cuidado com os pontos de lixo, áreas de sucata, operações de limpeza urbana, atividades de protagonismo e envolvimento social para o combate à dengue, chikungunya e zika, além da revitalização de pontos de lixos, ações sociais em entidades multiplicadoras, como igrejas e centro sociais e comitês para discussões e promoção de ações semanais. O objetivo é atacar diversas frentes, com enfoque na limpeza urbana e no envolvimento da população.

Conservação e Serviços Públicos
João Pupo, secretário de Conservação e Serviços Públicos, lembrou dos esforços que vêm sendo realizados pela Pasta para possibilitar que cada Secretaria Regional receba mais uma equipe do projeto Quintal Limpo. Além disso, informou que, só neste ano, serão construídos 23 ecopontos em toda a Cidade, principalmente em áreas com maior quantidade de pontos de lixo, possibilitando a diminuição da proliferação do Aedes aegypti.

Foi compartilhado, ainda, que o primeiro Ecopolo da Capital será inaugurado ainda neste ano, no Pirambu. Pupo acrescentou que outros dois serão construídos no Dendê e Maranguapinho. Os Ecopolos possibilitarão ação mais efetiva de limpeza urbana, com estudo qualificados e diversas ações de prevenção, controle e fiscalização do lixo. Outra novidade é o estudo de parceria para a construção da segunda recicladora de pneus do Nordeste, o que possibilitará a reutilização desses objetos, conhecidos por acumularem água e focos de mosquitos.

Com informação da A.I

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp