Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Foto: Reprodução.

A complementação de voto apresentada nesta terça-feira (2) pelo relator da reforma da Previdência, Samuel Moreira (PSDB-SP), traz regras mais suaves para que professoras da rede pública consigam se aposentar com integralidade — ou seja, recebendo o último salário da ativa. Pelas novas regras transitórias, elas poderão ter o benefício ao completar 57 anos de idade, não 60, como previa o relatório anterior. 

A exigência para homens professores da rede pública continua sendo a mesma, de 60 anos de idade. O primeiro relatório de Moreira permitia que professores e professoras, da rede pública e da iniciativa privada, pudessem se aposentar com idades mínimas de 60/57 anos (homens/mulheres). Mas, para conseguir integralidade, precisariam completar 65/62 anos. 

Para os demais servidores, as idades continuam sendo de 65 anos (homens) e 62 (mulheres). Apesar da melhora nas regras, os professores têm pedido ainda mais mudanças ao relator. Eles pedem a retirada total da categoria da reforma da Previdência. 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp