Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Promotoria de Justiça da Infância e Juventude da Comarca de Paracuru, em parceria com o Centro de Apoio Operacional da Infância e da Juventude (CAOPIJ), do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), realizou na manhã de sexta-feira (28) mais uma audiência pública do projeto “CNA Forte, Adoção Segura” no município de Paracuru, na Região do Litoral Oeste, com o objetivo de sensibilizar os moradores sobre a importância do respeito ao Cadastro Nacional de Adoção (CNA).

Segundo o coordenador do Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude (CAOPIJ), Hugo Mendonça, o Cadastro Nacional de Adoção foi apresentado e, em seguida, discutida a implantação com efetividade na comarca de Paracuru. Na ocasião, foram tratados assuntos dentro do tema de adoção, tais como o cadastro municipal de adotantes, o procedimento para entrega de criança recém-nascida pelos pais que não quiserem se responsabilizar pela sua criação etc. Além disso, foi distribuído material informativo sobre o tema.

Estavam presentes na reunião representantes da Secretarias Municipais de Saúde e de Ação Social, do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), do Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS), conselheiros tutelares e demais integrantes da rede socioassistencial do município.

Em agosto, as audiências públicas sobre o projeto CNA acontecerão em Groaíras, no dia 21, e em Crateús, no dia 22. Para setembro, está previsto o agendamento de audiências nas comarcas do Vale do Jaguaribe (Russas, Limoeiro e Aracati) e da Região Metropolitana de Fortaleza (Maranguape, Maracanaú, Caucaia).

O CNA é um sistema que garante a segurança da criança e do adolescente a ser adotado. Nele são inseridos os pretendentes para adoção que somente são cadastrados depois de participarem de curso psicossocial e jurídico, serem entrevistados e avaliados pela equipe técnica do Juizado da Infância e da Juventude e terem o processo analisado por um juiz e por um promotor de Justiça, que fazem avaliação para saber se o candidato está apto a adotar.

Com informação do Ministério Público do Estado do Ceará