Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os servidores das 184 cidades do Ceará poderão ter, em 2019, um Natal diferente. Isso, porque, pelo parecer do relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 98/2019) que trata da divisão do bônus do megaleilão de petróleo da camada pré-sal, os municípios receberão dinheiro para o pagamento do 13º salário. O senador Cid Gomes já tem o parecer pronto e vai apresentá-lo na próxima quarta-feira (28). O assunto ganhou destaque nesta sexta-feira (23), dentro do Jornal Alerta Geral no bate papo entre os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida. Há um impacto muito grande dessa medida nos cofres dos municípios.

Confira mais detalhes com o correspondente Sátiro Salles:

O assunto foi repercutido pelos jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida, no Bate Papo Político do Jornal Alerta Geral (Expresso Fm 104.3 na Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior + Redes Sociais) desta sexta-feira (23).

Saiba mais

+ Parecer de Cid garante dinheiro para prefeitos pagarem 13º em 2019

De acordo com a proposta, os Estados receberão 15% do total arrecadado com a exploração do petróleo do pré-sal, enquanto outros 15% ficarão com os Municípios. A agenda do Senado prevê que o parecer de Cid Gomes, com a definição dos recursos destinados a estados e municípios, será votado, na próxima quarta-feira, pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Beto ressalta que os critérios apresentados pelo senador para a repartição dos recursos proveniente do leilão, torna mais igualitários o repasse de verbas para Fundo de Participação dos Estados (FPE) e para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Para o jornalista a proposta torna “de certo modo mais justo, mais igualitário e até mais transparente a distribuição dos recursos do pré-sal pelos critérios que são utilizados hoje do repasse de verbas para FPE e FPM”.

Para Beto a liberação dos recursos traz alívio para o caixa das prefeituras e também para os servidores públicos municipais, que terão a garantia do recebimento do 13º salário.

 “É tudo mudança boa, positiva, que impacta a vida financeira dos prefeitos e dos estados. E como disse o senador Cid Gomes dá a garantia da renda extra do 13º”, afirma Beto.

Reforma da Previdência

Após os debates e as pressões de representantes de diferentes categorias de trabalhadores, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) admitiu pela primeira vez a possibilidade de mudanças no texto da reforma previdenciária aprovada na Câmara federal. O senador anunciou, nessa quinta-feira (22), que o relatório preliminar sobre a reforma da Previdência será entregue na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na próxima semana. Conforme a previsão inicial, o relatório seria entregue nesta sexta (23).

Confira mais detalhes com o correspondente Carlos Alberto

O jornalista Luzenor de Oliveira cometa que qualquer alteração que seja feita pelo Senado ao  texto da reforma previdenciária, que foi aprovado na Câmara dos Deputados, faz com que, obrigatoriamente, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) volte para a Câmara Federal para uma nova votação e consequentemente atrasa a aprovação da proposta.

Para Beto Almeida “mesmo não mexendo no coração da reforma, qualquer eventual correção que está sendo aventada pelo senador cearense Tasso Jereissati, implica que muda o texto, muda a feição que veio da Câmara e teria que voltar [para a Câmara]”.

 “O que fica por traz dessas declarações […] é que o senador Tasso Jereissati admite prejuízos na tramitação da reforma previdenciária no Senado com o debate sobre a indicação do filho do presidente Jair Bolsonaro para a embaixada do Brasil nos Estados Unidos”, afirma o Luzenor.

Beto acredita que não seja a intenção do senador Tasso fazer com que o texto volta ao debate na Câmara dos Deputados, ressaltando que entra em conta o embate que está ocorrendo nos bastidores no Senado, onde há uma resistência ao nome de Eduardo Bolsonaro para assumir a embaixada do Brasil nos Estados Unidos.

Beto ainda esclarece a ligação entre a reforma da Previdência e a indicação de Eduardo Bolsonaro como embaixador. O jornalista explica que depende do Senado a aprovação do nome do filho do presidente para assumir o cargo. Por esse motivo, os senadores estariam atrasando a reforma previdenciária como forma de pressionar o Governo a desistir da indicação de Eduardo.

Aquiraz X Eusébio

Aproxima-se o período eleitoral e alguns cenários de disputa já se configuram. No Ceará, os municípios de Eusébio e Aquiraz devem ter um embate de influências políticas e de interesse pela gestão das cidades. O assunto entrou na pauta do Bate-Papo político dentro do Jornal Alerta Geral desta sexta-feira (23).

O deputado estadual Bruno Gonçalves (Patriota), que obteve 82.515 votos no pleito de 2018, se articula para concorrer à gestão municipal de Aquiraz. No município, que atualmente tem Edson Sá (PMDB) como prefeito, Gonçalves somou 8.675 apoiadores que lhe queriam ocupando uma vaga na Assembleia Legislativa a partir de 2019.

Para o jornalista Beto Almeida, o fato de Bruno Gonçalves ter transferido seu domicílio eleitoral para a cidade de Aquiraz demonstra que o pai, Acilon Gonçalves, está mandando um recado para que Edson Sá não interfira nas eleições de Aquiraz em 2020 utilizando-se de sua influência política. Por outro lado, existe a possibilidade de haver somente o interesse de Bruno pelo cargo de prefeito do município, tornando-se o concorrente principal de Edson que busca reeleição.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp