Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA), apresentará até sexta-feira (10) uma nova versão da PEC da reforma da Previdência. A sugestão será feita por meio de uma emenda que substitui o texto antigo por 1 mais enxuto.

Michel Temer reuniu seu “núcleo da Previdência” no Palácio do Planalto na manhã desta 4ª feira (8.nov). O governo quer acenar ao mercado que não jogou a toalha e intensificará conversas com líderes de bancadas e dirigentes partidários.

Na reunião, o presidente e seus núcleos político e econômico decidiram que precisam frisar que o governo “nunca desistiu” da reforma da Previdência. A fala de Temer na 2ª feira (6.nov) a deputados, no sentido de que uma eventual rejeição da proposta inviabilizaria o governo, desestabilizou a crença do mercado no governo.

Nesta quarta-feira (8), o grupo se reunirá novamente às 19h no Planalto. O governo quer demonstrar o que Michel Temer disse em 1 vídeo na terça: o Planalto empenhará “todas suas energias” para aprovar a reforma.

EQUIPE ECONÔMICA VS. POLÍTICA

O vice-líder do governo na Câmara, deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), disse que a nova versão da reforma tem “melhorias para poder passar”. Essas melhorias são exclusões em trechos polêmicos, como aposentadoria para trabalhadores rurais e regras de BPC (benefício de prestação continuada).

“Se a Casa quiser, dá para passar antes do recesso. Tem que organizar 1 pouco mais a base [de apoio ao governo]. Tem líderes que precisam ser mais trabalhados. Tem alguns que estão descontentes“, afirmou. “O ótimo é inimigo do bom. Se quer o ótimo, briga até o fim e pode ficar sem nada. E sem nada é tragédia para todos nós“, declarou.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta 4ª feira (8.nov), após a reunião no Planalto, que o governo não descartou o texto aprovado na comissão especial da Câmara. “Estamos avaliando a situação junto ao Congresso e discutindo estratégias para conduzir a votação. É importante, no entanto, frisar que o governo mantém sua proposta como está“, disse.

Meirelles declarou que “muitos haviam dada como perdida” a possibilidade de aprovação neste ano, mas que “o governo se mantém firme“.