Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) decidiu entregar a liderança do partido no Senado. A informação é de fontes ligadas à legenda. O senador Jader Barbalho (PA). deve assumir o posto. O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) comunicou Temer sobre a troca.

Ameaçado pela bancada, devido seu posicionamento crítico ao governo e as reformas propostas pelo executivo ele decidiu antecipar-se. O limite aconteceu nessa terça-feira quando em plenário, ele defendeu a renúncia de Temer e disse que o governo não tem “credibilidade nenhuma”.

E ainda ameaçou trocar membros da legenda na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), uma prerrogativa sua, para que a reforma trabalhista fosse reprovada pelo colegiado na votação prevista para hoje.

“Temer precisa receber com humildade a sugestão de FHC”, disse, referindo-se a artigo publicado pelo ex-presidente na segunda-feira defendendo que o presidente entregue o cargo. Outra fala que causou incômodo foi a resposta dele a Garibaldi Alves (RN) ontem no plenário. Garibaldi reclamou que Renan estava colocando posições individuais acima da bancada. Ouviu Renan ironizar um possível abalo psicológico de Garibaldi pela prisão do primo Henrique Alves.

Líder do governo, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) lembrou Renan que 17 dos 22 senadores pemedebistas apoiam a reforma trabalhista. E começou a coletar assinaturas para a destituição de Renan da liderança da legenda. Na manhã de hoje, a informação era que Jucá havia coletado assinaturas suficientes para a troca do líder.