Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Quinze cidades do Ceará tem uma situação mais privilegiada em relação aos demais 169 municípios em termos de receita extra. As 15 cidades recebem, em 2020, um aporte de aproximadamente R$ 88 milhões correspondentes a transferências, pelas petrolíferas, de Royalties.

Os Royalties e participações especiais são compensações financeiras à população pela exploração de recursos naturais finitos. Em todo o Brasil são, pelo menos, 400 municípios.

No Ceará, a relação de cidades contempladas com a grana extra tem Amontada, Aracati, Aquiraz, Caucaia, Fortaleza, Horizonte, Itapipoca, Itarema, Jaguaruana, Maracanaú, Paracuru, Paraipaba, São Gonçalo do Amarante e Trairi.

Se você imagina que, nessa relação, Fortaleza, que é a cidade mais populosa do Ceará, tem a maior fatia desses repasses, engana-se: em 2020, a capital recebe apenas 1 milhão e 350 mil reais, enquanto Itapipoca, terá uma receita – somente com os royalties da petrobras, de 9 milhões e 20 mil reais.

A pequena cidade de Jaguaruana, na Região do Vale do Jaguaribe, com mais de 32 mil habitantes, ganha destaque especial porque tem, em 2020, a renda extra é de 6 milhões e 430 mil reais. Os prefeitos dos 15 municípios do Ceará bem contemplados com os royalties terão, entre os anos de 2021 e 2024, mais de 400 milhões de reais. A projeção é feita em um estudo denominado Inforoyalties, da Universidade Cândido Mendes, publicado, na edição desse domingo do Jornal O Globo.