Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os recursos decorrentes de saques nas contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) geraram um impacto positivo de R$ 10,8 bilhões nas vendas do comércio varejista, entre março e julho deste ano. A estimativa é da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Segundo a CNC, o valor corresponde a 25% do total sacado (R$ 44 bilhões) e foi responsável por 1,4% das vendas do varejo no período.

Entre os oito segmentos do comércio varejista, o mais impactado pelos saques do FGTS foi o setor de vestuário e calçados, que recebeu R$ 4,1 bilhões. Também foram impactados os setores de hiper e supermercados (R$ 2,8 bilhões), artigos de uso pessoal e doméstico (R$ 1,3 bilhão) e móveis e eletrodomésticos (R$ 1,2 bilhão).

De março a julho deste ano, foram pagos mais de R$ 44 bilhões relativos às contas inativas do FGTS. Puderam sacar o benefício trabalhadores que tiveram contrato de trabalho encerrado sem justa causa até 31 de dezembro de 2015.

Com informações Agencia Brasil