Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Outros dois casos com suspeita de sarampo foram comunicado pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) após os pacientes irem na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Conjunto Ceará, em Fortaleza, na noite de ontem segunda-feira (2). Um setor da unidade foi isolada. Um caso da doença foi comprovado no Ceará este ano. O último caso autóctone de sarampo no Ceará, que ocorre quando a contaminação se dá no próprio Estado, havia sido registrado em julho de 2015.

Funcionários da UPA do Conjunto Ceará estão utilizando máscaras e aconselhando os demais pacientes que procuram o local para também usarem máscaras para evitar o contágio. Pessoas que chegaram na UPA em busca de atendimento confirmaram o aviso.

“Só informaram que tinham essas duas pessoas com suspeita de sarampo na unidade e deram a máscara. Quem quisesse ficar na unidade, ficasse, e quem não quisesse podia se retirar”, disse uma mulher que não quis ser identificada.

Até o momento, o Estado tem cerca de 20 casos suspeitos de sarampo em investigação, de acordo com  a epidemiologista da Sesa, Daniele Queiroz. Embora o último boletim oficial da secretaria, divulgado em 26 de agosto, mostre apenas 9 casos suspeitos.

Os principais sintomas do vírus são febre, conjuntivite, coriza, tosse e manchas vermelhas. A doença é considerada “altamente contagiosa”, podendo ser transmitida pelo ar, por secreções respiratórias ou da boca e gotículas produzidas em tosse ou espirro.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp