Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Secretaria de Saúde do Estado registrou dois óbitos causados por uma doença rara conhecida como “febre do vale”, em 2017, no Ceará. Ao todo, dez pessoas foram acometidas da doença no ano passado, cinco deles naquele município cearense. A Sesa enviou uma equipe para o município para orientar e investigar casos suspeitos.

A doença é uma infecção causada pelo fungo Coccidioides posadasii, registrada no Brasil desde a década de 1990. A região do Nordeste, por ser semiárida, é considerada uma região endêmica desse fungo. No Ceará os casos são relacionados a caça de tatus. Os dois mortos praticavam a caça. A exposição a partículas infectantes presentes no solo são a causa da infecção.

As vítimas são em maioria jovens de 20 a 30 anos, do sexo masculino, e não possuem doenças associadas. As duas mortes pela “febre do vale” registradas eram de rapazes de 21 e 26 anos de idade. A Secretaria da Saúde lembra que em 60% dos casos a infecção tem resolução espontânea.

Com informações do G1