Maia perde força e entusiasmo, mas permanece no Desenvolvimento Econômico

O Planejamento se transformou em pasta estratégica não apenas no controle dos projetos e ações para o desenvolvimento do Estado.

O Secretário do Desenvolvimento Econômico, Maia Júnior, perdeu força dentro do Governo após ver migrar das suas mãos a Secretaria de Planejamento, hoje sobre o controle do deputado federal Mauro Filho (PDT).

O Planejamento se transformou em pasta estratégica não apenas no controle dos projetos e ações para o desenvolvimento do Estado, mas, também, na área social uma vez que passou, a partir do mês de março, a administrar o Fundo Estadual de Combate à Pobreza (FECOP). Os recursos administrados pelo FECOP são aplicados em projetos sociais nos municípios mais pobres do Interior do Estado.

Maia ocupou a pasta do Planejamento na segunda metade do primeiro mandato do Governador Camilo Santana, desenvolveu projetos e agradou a cúpula do Palácio da Abolição pelas ações e planos traçados para enxugamento da máquina do estado.

A expectativa de Maia Júnior, ao final do ano passado, era permanecer na Secretaria de Planejamento durante o segundo Governo de Camilo Santana. Um arranjo político na aliança entre PT e PDT o fez desembarcar – a contragosto, na pasta do Desenvolvimento Econômico, que é uma secretaria com poderes divididos com a Assessoria para Assuntos Internacionais, que tem status de primeiro escalão.

As aparições de Maia Júnior mostram, em seu semblante, a falta de entusiasmo com a missão dada pelo Governador Camilo Santana. Maia perdeu força interna e dá sinais de desconforto, mas a pedido de Camilo permanece no Governo.

Leia a Anterior

Reforma previdenciária sai, pela 1ª vez, em quatro meses, do foco dos debates

Leia a Próxima

Workshop em Fortaleza promete despertar identidade organizacional de sua empresa