Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Quando assumiu a presidência do Senado Federal, em fevereiro deste ano, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) firmou o compromisso de conduzir o Legislativo de acordo com os anseios da sociedade, sempre pautando suas ações pelo diálogo e pelo entendimento. Ao colocar o interesse do país em primeiro plano, sempre buscando caminhos para a retomada do crescimento brasileiro e para o resgate da confiança da população nas instituições, Eunício alcançou um resultado que fez com que o primeiro semestre de 2017 do Senado fosse o mais produtivo dos últimos dez anos.

Somente neste primeiro semestre, o Senado Federal aprovou 94 matérias, superando o número de 92 que havia sido registrado em 2008. Foram 33 Projetos de Decreto Legislativo, 28 Projetos de Lei da Câmara. 17 Medidas Provisórias, 9 Projetos de Lei do Senado, 3 Substitutivos da Câmara dos Deputados a Projeto de Lei do Senado, 2 Propostas de Emenda à Constituição e 2 Emendas da Câmara dos Deputados a Projeto de Lei do Senado.

De dez anos para cá, os números de matérias aprovadas nos primeiros semestres legislativos do Senado Federal foram os seguintes: 78 em 2016; 67 em 2015; 61 em 2014; 63 em 2013; 74 em 2012; 69 em 2011; 65 em 2010; 85 em 2009; 92 em 2008 e 58 em 2007.

Conforme anunciado na sessão em que foi eleito pelos pares para comandar o Congresso Nacional, Eunício adotou práticas para otimizar os trabalhos do Legislativo. Sempre observando à risca o preza o Regimento Interno da Casa, valorizou as reuniões com as lideranças partidárias, nas quais são definidas as matérias que entram na pauta de votações, e disciplinou o horário de abertura da Ordem do Dia, momento da sessão em que os projetos são apreciados.

A postura adotada por Eunício na presidência do Senado garantiu agilidade no trâmite das matérias, entretanto sem atropelar as discussões, os direitos das minorias e as disposições do Regimento Interno da Casa. Para o parlamentar, o objetivo é tornar o processo legislativo célere para manter em sintonia a vontade dos representados e a ação dos representantes.

Ao defender o Estado Democrático de Direito, Eunício ainda ressaltou em sua prática na condução dos trabalhos legislativos, a independência harmônica entre os Poderes da República, além da busca pelo aperfeiçoamento das engrenagens do sistema de freios e contrapesos pelo qual a democracia se regula. Para ele, essa postura será adotada por todos os dias do seu mandato à frente do Congresso Nacional.