Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

As articulações entre dirigentes regionais do PSDB e DEM avançaram na reta final de 2019 para construção de uma aliança entre as duas siglas na disputa pela Prefeitura de Fortaleza. Sem nomes para concorrer à sucessão do prefeito Roberto Cláudio e com restrições da cúpula nacional para uma eventual coligação com o PDT e o PT, o DEM encontra no PSDB o aliado preferencial a caminho do primeiro turno da eleição na Capital.

O quadro local deixa o DEM como aliado do prefeito Roberto Cláudio (PDT) e do Governador Camilo Santana (PT). O cenário nacional tem o DEM mais próximo do PSDB e bem distante do PDT e PT. A orientação da cúpula nacional é que a tendência nacional seja acompanhada pelos diretórios estaduais. Os tucanos querem fortalecer a pré-candidatura do ex-deputado estadual Carlos Matos com a entrada do DEM na aliança com o PSDB.

A articulação, conduzida pelo presidente da Executiva Regional do PSDB, ex-senador Luiz Pontes, poderá frustrar o Capitão Wagner, pré-candidato do PROS, que vem negociando com dirigentes nacionais do DEM. Wagner chegou perto de conquistar o DEM, mas uma ação do ex-deputado federal Chiquinho Feitosa neutraliou a movimentação do capitão.

Chiquinho, que é primeiro suplente do senador Tasso Jereissati e presidente do DEM no Ceará, aprofunda conversa com o presidente do PSDB, Luiz Pontes, para a aliança na disputa pela Prefeitura de Fortaleza ser fechada. O entendimento entra na contramão da movimentação do deputado federal Roberto Pessoa que, mesmo filiado ao PSDB, admitiu apoiar a candidatura do Capitão Wagner. O gesto de Roberto é uma contrapartida ao apoio de Wagner à sua candidatura à Prefeitura de Maracanaú.

A possível união entre PSDB e DEM dará, também, mais fôlego financeiro a candidatura de Carlos Matos à sucessão do prefeito Roberto Cláudio. O PSDB, com 33 deputados federais, e o DEM, com 26 representantes na Câmara, tem uma boa fatia de recursos do fundo eleitoral, o que pode significar mais condições para Carlos Matos realizar a campanha no primeiro turno da eleição.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp