Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Defesas, aquecimentos, jogos-treinos, essa é a nova rotina do jovem, Juciliano Batista, de 18 anos, que atua no time sub-20 do Fortaleza Esporte Clube. Há três meses, ele conseguiu a chance de assinar com o clube para almejar um futuro promissor como jogador profissional, por meio de uma parceria entre a Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo (Seas) e o Leão do Pici, que visa através do esporte possibilitar mudanças de vida, para adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa.

A história do jovem com o esporte começou ainda cedo quando ele tinha apenas 14 anos. Naquela época, ele jogava bola por intermédio do seu tio, já falecido, no Trairi. A sequência com as atividades foi interrompida por um momento turbulento na vida de Juciliano, que se envolveu na criminalidade. Hoje, consciente, sabe dos erros cometidos, mas reafirma a importância do esporte para sua mudança e garante que quer ser como seus ídolos Cássio Ramos, do Corinthians e Alisson Becker, do Liverpool: “A importância hoje para mim é primeiramente para ocupar a minha mente, aqui eu faço algo que eu gosto, que eu amo.”

O talento de Juciliano foi visto de perto pelo educador físico e ex-atleta, Marigésio Carvalho, que atuava na equipe esportiva do Centro Socioeducativo Patativa do Assaré, quando o jovem começou a cumprir medida socioeducativa em Fortaleza e, coincidentemente, possui um Centro de Treinamento do Leão do Pici funcionando. Mesmo sem atuar como jogador por estar machucado, o jovem sempre mostrou interesse pelo Esporte e pediu uma chance ao treinador, que o possibilitou a começar na posição de goleiro: “O Marigésio foi a única pessoa, que acreditou em mim e viu meu potencial, quando ninguém acreditava.”, reforça o adolescente.

Para o professor de educação física do Canindezinho, a determinação em vencer um problema sério na perna, e focar nos estudos dentro da unidade foi determinante para ver o potencial do adolescente e sua perspectiva de mudança.

“Ele tinha um problema sério na perna por conta de uma cirurgia, e isso dificultava sua locomoção. Mas eu comecei a fazer um trabalho de fisioterapia e funcional, para o fortalecimento. Então ali eu vi que realmente ele queria algo. E ele disse que o sonho dele era poder dar orgulho a família e ser alguém na vida, que a antiga vida ele não queria mais.”

A efetividade na posição que hoje atua veio ao ir para o Centro Socioeducativo Canindezinho, que também com o apoio novamente do Marigésio, conseguiu treinar e jogar em treinos preparatórios para as Olimpíadas Socioeducativas. Na época seu time consagrou-se campeão, e ele foi um dos jogadores destaques. Antes de vivenciar os jogos olímpicos, as mudanças em sua vida ocorreram e hoje treina regularmente no CT Ribamar Bezerra.

Mesmo com pouco tempo de experiência na equipe, o preparador de goleiros do time sub-20 do Fortaleza, Elthon Oliveira, reforça a dedicação e a desenvoltura do atleta, que treina diariamente de segunda a sábado:

“O Juciliano chegou aqui com um pouco de coordenação, e com esses meses a gente conseguiu corrigir e ele já aumentou em 50, 70% o nível de coordenação dele, e também o entrosamento com os meninos.”

O passado de Juciliano já é página virada, e hoje ele só pensa em fazer o que ama, jogar futebol e continuar deixando sua família feliz: “Minha família me apoia bastante. Meu pai está muito orgulhoso.”, garante.

Oportunidade

Além do suporte da unidade socioeducativa, com auxílio do Marigésio também teve o apoio de uma Assessoria Esportiva após sua saída, que acreditou no garoto e o ajudou a melhorar sua capacidade física. Com tratamentos e exames para detectar que o problema antigo na perna não o afetaria novamente.

Parceria

Desde 2017, o Fortaleza Esporte Clube e o Estado do Ceará, por meio da Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo (Seas), mantém uma parceria que culminou na implantação de um centro de treinamento no Centro Socioeducativo Patativa do Assaré, oferecendo oportunidade aos jovens de participarem de treinos e de seletivas junto ao time.

A ação faz parte do Programa “Esporte Gera Ação” e encontra-se no eixo do Ceará Pacífico, que visa fomentar as atividades esportivas nas unidades socioeducativas para impulsionar o processo de ressocialização.

 

 

 

 

 

 

 

(*)com informação do Governo do Estado do Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp