Categorias
Cidade Destaque3

AMC e Detran implementam novo protocolo para acidentes sem vítima a partir desta segunda-feira

Começa a valer a partir desta segunda-feira (2), um novo protocolo de atendimento a acidentes sem vítima em Fortaleza. A fim de garantir segurança e fluidez às vias, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) orientam que os condutores de veículos envolvidos em colisões com apenas danos materiais retirem-se imediatamente do local.

Após a colisão, os proprietários devem registrar o ocorrido por meio do aplicativo AMC Móvel, exceto no caso em que houver crime de trânsito ou o veículo estiver impossibilidade de sair do local. Ao invés de ficar aguardando a presença dos agentes de trânsito ou da perícia, a indicação é retirar o veículo do local, baixar a plataforma e acessar o menu Bateu (Boletim de Acidente de Trânsito Eletrônico Unificado de Fortaleza).

Os dados lançados pelo aplicativo são analisados por técnicos do órgão que avaliam sua consistência e liberam sua impressão no site (centralamc.com.br) em até cinco dias úteis, podendo ser usado pela seguradora e usado como prova em ações judiciais. Quem desejar registrar o acidente posteriormente deve fazer em um prazo de até 30 dias após a colisão no mesmo endereço eletrônico com a possibilidade também de inclusão de fotos como no aplicativo. Outra forma de registro é procurar a delegacia mais próxima ao local do acidente e registrar um Boletim de Ocorrência.

Passo a passo:

1) Baixe o aplicativo através da Google Play ou App Store;
2) Faça o cadastro;
3) Anexe as imagens necessárias;
4) Desobstrua a via;
5) Preencha as informações necessárias quanto aos dados do veículo, do condutor e breve relato
da ocorrência.

Categorias
Médico Henrique César Destaque3

Acidentes em águas rasas podem provocar lesões irreversíveis na coluna cervical, diz o Médico Henrique César

O médico e professor universitário Henrique César, em seu comentário, nesta quinta-feira (25), no Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior + redes sociais), destacou o aumento do número de acidentes domiciliares e em momentos de lazer.

Segundo Henrique César, um dos acidentes mais comuns acontecem após mergulhos em águas rasas, sendo esta a 4ª causa de lesão muscular no Brasil. O médico informa que a maioria das lesões acontece em jovens na faixa etária de 10 a 30 anos, sendo, geralmente, localizadas na coluna cervical.

Henrique fala, em seu comentário, que o número de acidentes aumenta nos meses de férias escolares. Segundo o médico, a causa desse aumento pode estar associada ao modo como as pessoas entram na água. Henrique alerta sobre alguns cuidados que os banhistas devem ter para evitar acidentes.

Confira as dicas do Dr.Henrique César clicando no player abaixo:

Categorias
Ceará

Número de acidentes em rodovias federais do Ceará diminui 10,14% nos quatro primeiros meses de 2019

O número de acidentes em rodovias federais do Ceará durante o primeiro quadrimestre de 2019 diminuiu 10,14%, em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com o balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgado nesta quarta-feira (29), foram registrados 540 casos de janeiro a abril deste ano, contra 601 no mesmo intervalo de 2018.

Os dados mostram, ainda, que a redução é mais significativa se comparado somente os acidentes considerados grave. Ao todo, foram 163 no primeiro quadrimestre deste ano, enquanto esse número chegou a 188 no ano passado, representando 13,29% a mais.

Também houve queda no número de mortes quando comparado aos quatro primeiros meses do ano passado, de 42,62% (35 mortes em 2019 contra 61 em 2018). A PRF atribui os bons resultados ao trabalho intenso de fiscalização e prevenção nas estradas, para diminuir a criminalidade e dar mais segurança às pessoas.

Categorias
Cotidiano

Acidentes no trânsito deixaram mais de 1,6 milhão feridos em 10 anos, mais de 2,2 mil pessoas morrem por ano no Ceará

Os acidentes no trânsito deixaram mais de 1,6 milhão de brasileiros feridos nos últimos dez anos, e representaram um custo de R$ 2,9 bilhões para o Sistema Único de Saúde (SUS). As informações estão em levantamento divulgado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) com base em dados do Ministério da Saúde.

Já no Ceará, o trânsito leva a óbito, em média, mais de 2,2 mil pessoas por ano, uma a cada quatro horas, e deixa outras 11 mil feridas, com lesões graves ou invalidez permanente. Os custos chegam a pouco mais de R$ 3,1 bilhões anuais, de acordo com as estimativas do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV).

Entre 2009 e 2018, houve um crescimento de 33% na quantidade de internações em todo o País, só no Ceará foram registradas 106.029 internações nos dez anos avaliados.

Para o diretor da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) e membro da Câmara Técnica do Conselho Federal de Medicina, Antônio Meira, esses acidentes já são considerados um dos principais problemas de saúde pública do país.

Entre as vítimas graves do tráfego, os dados apontam que 60% dos casos são de pessoas entre 15 e 39 anos. O maio amarelo é o mês dedicado ao combate de acidentes de trânsito em todo Brasil.

Categorias
Cotidiano

Seguro DPVAT: 70% das indenizações foram destinadas para vítimas com sequelas permanentes

O seguro a Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre, o DPVAT, registrou em 2018, 320 mil indenizações que cobriram morte, invalidez permanente e reembolso de despesas com assistências médicas e suplementares. Cerca de 70% das indenizações, aproximadamente 228 mil ocorrências, foram destinadas para acidentes de trânsito com vítimas que adquiriram algum tipo de invalidez permanente.

A maior parte das ocorrências, cerca de 75%, foram registradas em acidentes que envolvem motocicletas, foram 246 mil pagamentos. Os homens com idade entre 18 e 34 anos representam 79% das vítimas com sequelas permanentes.

Categorias
Política Destaque1

Trechos das BRs 116 e 020 no CE têm menos acidentes com radares móveis

Dois trechos de rodovias federais no Ceará (BR 116, em Fortaleza, e BR 020, em Canindé) estão entre os exemplos levantados pelo Jornal Folha de São Paulo que mostra que, com a implantação de radares, caiu, entre 2017 e 2018, o número de acidentes e vítimas fatais provocadas por excesso de velocidade.

O levantamento foi realizado após o Governo Federal anunciar a decisão de não renovar contratos com empresas responsáveis pela administração dos equipamentos de radares móveis nas BRs. Os radares começam, também, a ser retirados nas estradas federais que cortam o Ceará.

A medida gerou polêmica. De um lado especialistas de trânsito vêem, com a remoção dos radares, mais risco de acidentes e mortes. Há, também, uma corrente de pensamento que vai ao encontro do argumento do Governo Federal de que o excesso de fiscalização não passa de uma indústria de multas.

Segundo a reportagem do Jornal Folha de São Paulo, edição desta segunda-feira (15), a redução média de mortes foi de 21,7% nos quilômetros de rodovias federais em que o dispositivo eletrônico foi colocado. Os dados apontam, ainda, para uma redução de 15% nos índices de acidentes após a instalação dos radares.

Trechos da BR 116, na Grande Fortaleza, e da BR 020, em Canindé, estão entre os exemplos de que, com radares em funcionamento, os motoristas pisam o pé no freio, evitando, assim, acidentes e mortes. O Ceará, de acordo com esse levantamento da Folha de São Paulo, registra, com base em dados do DPVAT, 32 mil indenizações por mortes e acidentados no trânsito.

O aumento de acidentes nas rodovias federais, onde foram retirados os radares móveis, segundo o jornalista Beto Almeida, em seu Bate Papo Político, nesta segunda-feira, no Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior), será inevitável.

 

Categorias
Política Destaque1 Destaque3

Saúde pública está preparada, mas prevenir acidentes de trânsito ainda é melhor tratamento deste carnaval

Os acidentes de trânsito deixam vítimas com traumas e, muitas vezes, sequelas físicas para o resto da vida. O período de carnaval, com quatro dias de folia, é um dos feriadões mais extensos do Brasil e, com o movimento mais intenso nas rodovias, o número de acidentes acaba sendo maior.

O excesso de velocidade, o descumprimento da legislação e a imprudência, contribuem para o aumento da escalada da violência no transito. Quando as vítimas das acidentes sofrem fraturas, o tratamento desses traumas é bem demorado.

Sobre esse assunto, conversamos, no Bate Papo Político do Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior) desta quarta-feira (27) com o presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Ceará (SBOT-CE), Dr. Atualpa Pinheiro e o médico ortopedista, professor universitário e comentarista do Jornal Alerta Geral, Dr. Henrique César.

Dr. Atualpa afirma que a SBOT-CE está atuando, de forma estratégica, para contribuir para um carnaval com menos vítimas e eventuais traumas oriundos de acidentes de trânsito.

Com as diversas possibilidades de viagens e aumento do fluxo do trânsito no período do Carnaval, foi lançado pela Sociedade a campanha Carnaval sem Traumas.

A campanha tem como objetivo evitar a verdadeira epidemia de acidentes de trânsito e as mortes e traumas ortopédicos durante o período de carnaval, se repete ano após ano.

Quando perguntado se, na saúde pública, há espaço e condições para atender ao aumento de demanda nesse período de carnaval, o Dr. Atualpa afirma que, apesar da Região Metropolitana de Fortaleza ter um hospital referência em atendimento ortopédico e traumatológico, o Frotão, é natural que, com um número grande de atendimentos, aumenta o período de atendimento e espera, pois lesões como fraturas expostas levam tempo para se tratar.

“A rede pública está preparada para receber, mas é importante tentar minimizar, como ocorreu ano passado [2018]”, afirma o presidente da SBOT-CE.

Veja algumas dicas que a SBOT-CE preparou para você ser um folião nota 10:

Confira a entrevista na íntegra clicando no player abaixo:

https://youtu.be/3XGLfqe-LD0?t=1136

Também foi destaque:

+ Brasileiros sentem o peso das mudanças das regras para aposentadoria e se dividem sobre os rumos da reforma previdenciária: pesquisa aponta que projeto do governo tem rejeição de 45% dos brasileiros;

+ Ainda em relação as pesquisas, a primeira feita para atual governo, o presidente Jair Bolsonaro tem o apoio de 57,5% dos brasileiros, já o governo, tem uma aprovação menor;

+ Bolsonaro espera gesto de patriotismo dos deputados federais para avançar com mudanças na previdência social;

+ Reforma da previdência propõe tirar da constituição o reajuste da aposentadoria por inflação.

Você pode ouvir essa e outras notícias no Bate Papo Político, do Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior), na íntegra: