Categorias
Interior

Açudes em situação de risco começam a ser recuperados no Ceará

Um relatório divulgado pela Agência Nacional de Águas (ANA) apontou que oito açudes do Ceará estão em situação de alto risco.  Com o período de chuvas registrado nos cinco primeiros meses deste anos,  os reservatórios apresentaram problemas estruturais, correndo o risco de romperem e atingirem milhares de pessoas que precisaram evacuar suas casas. Segundo a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) os trabalhos não foram realizados no semestre passado devido à alta incidências das chuvas.

As obras nos reservatórios que apresentam problemas foram reiniciadas neste segundo semestre. Atualmente, está em curso o processo de recuperação nas barragens Cupim, Barra Velha e Colina, na bacia hidrográfica dos Sertões de Crateús; Brôco e Monte Belo, na bacia do Alto Jaguaribe; Cipoada, na bacia do Banabuiú; além dos açudes Tijuquinha e Pacajus, da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O investimento total está orçado em R$ 3,5 milhões.

A previsão é de que as obras sejam concluídas até fevereiro de 2020. Até lá, Rebouças atesta que os açudes onde foi detectada a necessidade dos serviços, estarão em condições adequadas para atravessar a próxima quadra chuvosa.

Categorias
Interior

Cogerh realiza Alocação Negociada de Água do Vale do Acaraú

A gerência regional da Cogerh situada em Sobral, responsável pela administração das Bacias do Acaraú e Coreaú, realiza nesta quarta-feira (26), às 8h30, no auditório do Sistema Integrado de Saneamento Rural (SISAR), a  Reunião de Alocação Negociada de Água do Vale do Acaraú. O momento reúne os membros do Comitê de Bacia do Acaraú para decidir a vazão de operação dos açudes Paulo Sarasate (Araras), Edson Queiroz e do sistema Jaibaras – Taquara para o 2º semestre de 2019, além da definição dos parâmetros de alocação dos açudes isolados da bacia do Acaraú. A reunião marca o momento de tomada de decisão pelo colegiado que representa a bacia do Acaraú. O evento é aberto ao público, mas apenas o Comitê tem direto a voto.

Os Comitês de Bacias Hidrográficas (CBH), definidos pela lei estadual nº 14.844, como entes regionais de gestão de recursos hídricos com funções consultivas e deliberativas,  são compostos por representantes dos usuários, sociedade civil, das prefeituras e dos órgãos de Governo. É a instância mais importante de participação e integração do planejamento e das ações na área dos recursos hídricos.

No Ceará o colegiado do Comitê de Bacia obedece a seguinte distribuição e percentual de participação: Usuários (30%); Sociedade Civil (30%); Poder Público Municipal (20%); Poder Público Estadual/Federal (20%).

Alocação Negociada de Água

O processo de Alocação Negociada define a distribuição da água, de acordo com a Lei estadual de Recursos Hídricos, para os diversos setores: abastecimento humano, irrigação, serviços e indústria. A alocação é realizada pela Cogerh em conjunto com os Comitês de Bacias Hidrográficas, órgão colegiados com representação em diferentes setores da sociedade: usuários de água, sociedade civil e poder público.

Serviço

Reunião de Alocação do Vale do Acaraú
Auditório do SISAR : Rua do Escambo, S/N, Dom Expedito,Sobral.
Data:26/06
Horário:8h30
Categorias
Cotidiano

Imagens de satélite vão intensificar monitoramento dos Recursos Hídricos no Ceará

A Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) deu um passo importante na busca pela otimização do monitoramento dos usos da água em todo o Ceará. A Companhia vai ter acesso diário a imagens de satélite de alta qualidade para identificar áreas sujeitas a fiscalização, onde valem algumas regras de restrição do uso da água por causa da seca, por exemplo. Técnicos da Cogerh vão receber treinamento para operação das imagens a partir da próxima semana. Os núcleos das regionais de Limoeiro do Norte e de Sobral, participam da primeira capacitação para operar o sistema.

A vantagem da iniciativa, com imagens diárias e de todo o estado, possibilita a detecção de irregularidades com agilidade. “É o auxílio da tecnologia para o cumprimento dos parâmetros definidos na alocação negociada de água com foco na fiscalização”, avalia o presidente da Cogerh, João Lúcio Farias. São imagens coletadas diariamente por mais de 150 satélites com o objetivo de fazer cumprir instrução normativa Nº 02 da Secretaria de Recursos Hídricos, que dispõe sobre os instrumentos de fiscalização, autuação e interposição de recursos por infrações à Legislação Estadual de Recursos Hídricos.

Interface do Sistema de Satélite

Segundo Vinicius Rissoli, engenheiro representante da empresa que detém a tecnologia dos satélites, as imagens serão fornecidas em até 48h em plataformas em web “para que os técnicos da Cogerh possam acessar de forma rápida e fácil e com altíssima resolução espacial. São imagens com 3 metros de distância”, explicou Rissoli. O investimento no projeto foi da ordem de R$ 2 milhões e tem duração de, pelo menos três anos, conforme contrato firmado entre Cogerh e a Planet, empresa norte americana que possui a tecnologia de satélites.

O sistema também vai auxiliar na observação da qualidade da água, além de monitorar possíveis irregularidades em áreas de proteção próximas a açudes.

“Vamos ter condições de identificar desmatamento em alguma área do reservatório, além de agressões ao meio ambiente em torno os mananciais. Sem dúvidas, o Estado passa a ter um monitoramento mais efetivo com a aquisição dessa tecnologia”, avalia João Lúcio Farias, presidente da Cogerh.

Protótipo de Sistema de Alerta de Infrações

A companhia negocia, ainda, um protótipo de um “Sistema de Alerta”, um software que vai “avisar” quando encontrar mudanças entre períodos. “Quando o usuário fizer um desmatamento, construir um tanque, e encher alguma coisa o sistema vai notar a diferença tomando como base uma imagem anterior e uma mais recente, indicando que houve alteração no espaço”, explica Alves Neto, técnico de fiscalização. “O sistema vai dar alertas. Então em vez de olhar pro sistema como um todo o técnico vai focar no que precisa ir”, completa.

A empresa responsável pela tecnologia desenvolverá o protótipo em até seis meses. “A Cogerh vai testar e avaliar o protótipo. Dependendo do resultado final, fazemos a aquisição”, conclui Alves.

Categorias
Interior

Governo do Estado vai investir R$ 1 milhão para abastecimento hídrico de Iguatu

O deputado Marcos Sobreira (PDT) afirmou durante sessão plenária da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (05), que o Governo do Estado está elaborando um edital para investir R$ 1 milhão para recuperação do antigo sistema de abastecimento hídrico do município de Iguatu. A iniciativa surgiu a partir da série de estudos realizados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) no município, após a descoberta do aquífero Julião, há dois anos.

A ideia é recuperar 12 poços utilizados há 30, 40 anos para abastecer o município, e construir uma adutora de 1,4km, ligando os poços ao rio Jaguaribe, ressaltou o parlamentar.

Dados apontam que o açude Trussu, que abastece os municípios de Iguatu e Acopiara, está com 3,31% de sua capacidade. O abastecimento de Iguatu, segundo o deputado, é de responsabilidade total do Serviço Autônomo de Água e Esgoto do Município de Iguatu (Saae), órgão que, devido uma desordem administrativa, não conseguiu cavar poços e manter o abastecimento da região.

É menos de 3,5%, o que equivale a volume morto. Então, se tornou comum as pessoas desses municípios terem acesso à água em uns dias e em outros não e água de baixa qualidade, inapropriada para o consumo humano, destacou o deputado.

O parlamentar informou que levou a questão ao Governo do Estado e à Secretaria Estadual de Recursos Hídricos que autorizassem a Cogerh a visitar o município, realizar estudos e verificar quais as melhores possibilidades para regular o abastecimento.

Categorias
Cotidiano

Governo do Ceará divulga balanço da quadra chuvosa no Estado amanhã

A Secretaria de Recursos Hídricos (SRH) realiza nesta quarta-feira (5), às 9h, uma coletiva de imprensa sobre o balanço da quadra chuvosa e o que o período representou em termos de aporte hídrico para o Ceará. Na ocasião, serão apresentados ainda dados referentes ao consumo de água em Fortaleza e Região Metropolitana e os investimentos feitos com a Tarifa de Contingência.

A coletiva vai acontecer na sede da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) e será conduzida pelo secretário de Recursos Hídricos do Estado, Francisco Teixeira e pelo presidente da Cagece, Neuri Freitas. Também estarão presentes na mesa o secretário do Desenvolvimento Agrário, Francisco De Assis Diniz, e a gerente de meteorologia da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), Meiry Sakamoto.

Serviço

Coletiva de Imprensa de balanço da quadra chuvosa
Data: 5 de junho de 2019, quarta-feira
Horário: 9h
Local: Auditório da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Rua Adualdo Batista, 1550 – Cambeba)