Categorias
Cotidiano

Com aumento da população idosa no país, Assembleia discute o envelhecimento no século XXI

A população de idosos no Brasil vem aumentando. Diante disso, a Assembleia Legislativa realiza uma audiência pública para discutir o tema  “O envelhecimento no século XXI: os desafios do mercado de trabalho para a pessoa idosa”. A audiência acontece por meio da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania, nesta sexta-feira (25), a partir das 9h.
A iniciativa é do deputado Nezinho Farias (PDT), em parceria com a deputada Patrícia Aguiar (PSD), e o debate será no Complexo de Comissões da Assembleia Legislativa.
Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de pessoas acima dos 65 anos cresceu 26% entre 2012 e 2018. Esse público representa 10,5% da população do País, ou seja, 21,872 milhões de pessoas.

Ainda segundo o IBGE, o percentual de idosos no mercado de trabalho vem crescendo, embora apenas um quarto tenha carteira assinada. A maioria está na informalidade ou em ocupações por conta própria. A aposentadoria insuficiente e a necessidade de custear as despesas não só da pessoa, mas da família, estão entre as razões para esse crescimento, informa o parlamentar.

*(Com informações da Agência de Notícias da Assembleia Legislativa)

Categorias
Cidade Destaque1

“Antes tarde do que nunca!”, diz Beto Almeida sobre cadastro para conter ligações indesejadas

O governo federal tenta encontrar saídas para barrar ligações indesejadas feitas por operadoras de Telecomunicações. Os consumidores podem se inscrever no cadastro nacional “Não me Perturbe”, uma iniciativa da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para conter esse assédio.

O assunto ganhou destaque no Bate Papo Político do Jornal Alerta Geral (Expresso Fm 104.3 na Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior + Redes Sociais) desta segunda-feira (29), entre os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida, que criticaram a postura das empresas de assediarem aposentados de maneira criminosa.

Para o jornalista Beto Almeida, a medida “entra na série: antes tarde do que nunca!”. Segundo ele, é preciso que a justiça consiga impor medidas eficazes para barrar a atuação dos bancos e impedir que essas instituições consigam os dados pessoais do cidadão, principalmente, segundo ele, dos aposentados.

O jornalista ainda questiona o ato de, nos pequenos municípios do Interior do Ceará, servidores visitarem idosos aposentados para, segundo ele, “assediar” essas pessoas para aquisição de consórcios bancários. Para o jornalista, “está mais do que na hora de punir os bancos.”

O jornalista Luzenor de Oliveira pondera que não há nada de criminoso nesse ato, mas, concordando com Beto, acredita que é
“inaceitável o assédio ou o poder de convencimento que vem pela fraude.” Caso o cadastro seja feito, a suspensão das chamadas pelas empresas ocorrerá em até 30 dias.

Você pode fazer seu cadastro no “Não me Perturbe” aqui.

Categorias
Educação

Estado do Ceará registra 363 pessoas sexagenárias inscritas no Enem 2019

Segundo o Ministério da Educação, o estado do Ceará registrou 363 pessoas de 60 anos ou mais inscritas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019. A quantia corresponde a 0,1% dos 294.992 candidatos totais do estado.

Em comparação ao ano de 2010, quando apenas 193 idosos efetivaram inscrição nas provas em todo o Estado, o número de inscritos da terceira idade na edição do Enem de 2019 é 88% maior, porém, é menor que a prova de 2012, que contou com 372 candidatos sexagenários. Os dados são do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O Exame nacional chega à 21ª edição em 2019 e será realizado novamente em dois domingos consecutivos, dias 3 e 10 de novembro. Dos 119 municípios cearenses que registraram inscrições, cinco se destacam: Fortaleza, com 95.902; Juazeiro do Norte, 11.564; Caucaia, 10.149; Sobral, 8.712; e Maracanaú, com 7.675 inscritos.

Categorias
Policial Destaque3

Número de denúncias de violência contra idosos aumentou 13% em 2018

Um levantamento feito pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos revelou que, no ano passado, o Disque 100 registrou um aumento de 13% no número de denúncias sobre violência contra idosos, em relação ao ano anterior.

De acordo com a assessoria de imprensa da pasta, o serviço de atendimento recebeu 37.454 notificações, sendo que a maioria das agressões foi cometida nas residências das vítimas (85,6%), por filhos (52,9%) e netos (7,8%).

O levantamento, divulgado nessa terça-feira (11), mostra que a suscetibilidade das mulheres idosas é maior. Elas foram vítimas em 62,6% dos casos e os homens, em 32,2%. Em 5,1% dos registros, o gênero da vítima não foi informado.

Faixa Etária

Quanto à faixa etária, os dois perfis que predominam são de pessoas com idade entre 76 e 80 anos (18,3%) e entre 66 e 70 anos (16,2%). O relatório também destaca que quase metade das vítimas (41,5%) se declarou branca, 26,6% eram pardas, 9,9% pretas e 0,7% amarelas. Indígenas representam 0,4% do total.

As violações mais comuns foram a negligência (38%); a violência psicológica (26,5%), configurada quando há gestos de humilhação, hostilização ou xingamentos; e a violência patrimonial, que ocorre quando o idoso tem seu salário retido ou seus bens destruídos (19,9%).

A violência física figura em quarto lugar, estando presente em 12,6% dos relatos levados ao Disque 100. O ministério informa que, em alguns casos, mais de um tipo de violência foi cometido e, portanto, comunicado à central.

Inclusão e Campanhas

Uma das ações governamentais de proteção a pessoas idosas é o Programa Viver – Envelhecimento Ativo e Saudável, que tem como finalidade a ampliação de oportunidades aos idosos, através da inclusão digital e social. As ações abrangem as áreas da tecnologia, educação, saúde e mobilidade física.

Além do programa, o governo federal articula a Campanha Junho Lilás, que visa prevenir e identificar situações de abuso contra idosos. Lançada no último dia 3, a iniciativa integra um movimento global de alusão ao Dia Internacional de Conscientização e Combate à Violência contra a Pessoa Idosa, no dia 15 de junho.

(*) Informações da Agência Brasil.

Categorias
Ceará Destaque3

Pelo segundo ano consecutivo, o Ceará é o estado nordestino com maior número de denúncias de agressão a idosos

A violência contra pessoas da terceira idade no Brasil é uma realidade a ser combatida. Pela segunda vez seguida, o Ceará é o estado nordestino com o maior número de denúncias de agressão a idosos registradas no Disque 100, durante os seis primeiros meses de 2018. Ao todo, foram 725 ocorrências registradas, uma média de quatro ocorrências por dia. Já em 2017, durante todo o ano foram 1.765 ocorrências registradas.

Além do Ceará, outros estados aparecem no ranking com casos de agressão a idosos. A Bahia teve 691 casos, Pernambuco 588 e Paraíba 401 ocorrências. Quem menos registrou denúncias no Nordeste, por sua vez, foi Alagoas, com 136 casos.

As 725 denúncias registradas até junho de 2018 resultaram em 3.065 casos de violência contra a pessoa idosa. A negligência lidera os registros no Ceará, com 1.538 casos, o equivalente a 50% das práticas. Em seguida aparecem violência psicológica, com 800 casos, abuso financeiro com 446 ocorrências e a violência física registra 281 casos.