Categorias
Cotidiano

Assembleia celebra os 60 anos do Conselho Regional de Medicina

A Assembleia Legislativa comemora, na noite desta segunda-feira (09/09), no Plenário 13 de Maio, os 60 anos do Conselho Regional de Medicina do Ceará (Cremec). O requerimento é dos deputados Carlos Felipe (PCdoB) e Heitor Férrer (SD), subscrito pela deputada Dra. Silvana (PR).

O Conselho Regional de Medicina do Ceará foi instalado em setembro de 1959 e a lei que institui a entidade foi sancionada pelo presidente Juscelino Kubitschek. Ao destacar o papel do Cremec, o deputado Carlos Felipe ressalta que “os conselhos de medicina têm a obrigação de apurar possíveis infrações à ética da profissão, fiscalizar a atividade médica, além de promover o perfeito desempenho da medicina”.

O deputado Heitor Férrer assinala que a entidade tem prestado inestimáveis serviços, não apenas à categoria profissional dos médicos, mas a toda a sociedade, visto que permanece firme aos princípios da ética.

Serão homenageados na solenidade o presidente do Cremec no período 1989/1993, Dr. Dalgimar Beserra de Menezes; o presidente entre 1983/1989, Dr. Ivan de Araújo Moura, e o presidente no período 1993/2003, Dr. Lino Antônio Cavalcanti.

Categorias
Wellington Lima FM 89,5

Gestão municipal de Canindé articula implantação de curso de Medicina na cidade

Categorias
Educação Cotidiano Destaque3

Prefeita Rozário avança com articulações para instalação de curso de medicina em Canindé

A prefeita Rozário Ximenes (PMDB) recebeu, nesta quinta-feira (18), uma equipe do grupo Estácio. O encontro tratou da instalação da instituição de ensino no Canindé, com oferta do curso de Medicina.

O diretor nacional do curso, Sílvio Pessanha, afirmou que o planejamento está sendo seguido obedecendo a prazos e metas.

A previsão é que no fim de dezembro o edital do vestibular seja publicado com aulas iniciadas em março de 2020.

Mais atualizações em instantes.

Categorias
Interior Destaque2

Conselho Regional de Medicina do Ceará impede que prefeito de Uruburetama exerça medicina por seis meses

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Ceará (Cremec) decidiu proibir o médico e prefeito afastado de Uruburetama José Hilson Paiva, de exercer a profissão médica por seis meses. Definida por unanimidade, a decisão foi tomada durante reunião na segunda-feira e divulgada nesta terça-feira (16), em Fortaleza.

José Hilson é investigado por suspeita de praticar abusos contra mulheres que foram se consultar com ele. O assunto tornou-se repercussão nacional após a divulgação de vídeos dos abusos, filmados pelo próprio médico durante consultas ginecológicas.

Após a repercussão dos fatos, o Cremec convocou reunião plenária e divulgou a determinação. Um processo também foi instaurado para apuração dos casos e pode resultar na perda definitiva do direito do médico de exercer a profissão.

O processo para a apuração dos fatos dentro da seara do Conselho começa com a abertura de uma sindicância, e caso haja comprovação de desvio ética do profissional, é instaurado um processo ético-profissional contra o médico para uma análise mais aprofundada do caso.

Segundo o Cremec, a determinação foi encaminhada para publicação no Diário Oficial da União. O Conselho também enviou equipes a Uruburetama para notificação do médico e prefeito, agora afastado, do município.

Categorias
Educação Destaque2

Ministério da Educação estuda liberar vagas e ofertas de cursos de medicina

O Ministério da Educação (MEC) estuda formas de liberar a abertura de novas vagas e ampliar a oferta de cursos de medicina em instituições de ensino superior em todo o país. A intenção, segundo o diretor de Regulação da Educação Superior da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres) do MEC, Marco Aurélio de Oliveira, é que uma proposta seja apresentada para a aprovação do governo no segundo semestre deste ano.

Não é abrir de forma indiscriminada, mas permitir a ampliação da oferta de vagas de medicina. Hoje têm faculdades com níveis excelentes que não têm mecanismo para aumentar o número de vagas. A ideia seria permitir essa ampliação de forma racional e bem discutida, para que não seja sem controle, explicou Oliveira.

A abertura de novos cursos está suspensa desde o ano passado, quando o governo do ex-presidente Michel Temer decidiu que era necessário avaliar e adequar a formação médica no Brasil. A medida, ainda em vigor, vale pelo período de cinco anos, e se estende a instituições públicas federais, estaduais e municipais e privadas, que não podem nem ampliar vagas nem criar novos cursos.

Categorias
Educação

MEC quer aperfeiçoar processo de revalidação do diploma de medicina

Grupo de trabalho com a finalidade de estudar e propor medidas para o aperfeiçoamento do processo de revalidação dos diplomas de graduação de medicina foi instituído pelo Ministério da Educação (MEC), de acordo com portaria publicada na edição desta quinta-feira (16) do Diário Oficial da União.

O grupo será formado representantes da Secretaria de Educação Superior do MEC, do Instituto Nacional de Educação e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e Conselho Federal de Medicina (CFM).

Os integrantes do grupo de trabalho terão um prazo de 60 dias, a contar  partir da publicação da portaria, para a conclusão de suas atividades e apresentar ao ministro da Educação uma proposta para aperfeiçoar o atual processo de revalidação do diploma de medicina.

O grupo poderá convidar para participarem de suas atividades representantes de órgãos e entidades públicas e privadas, além de pesquisadores e especialistas, que possam contribuir para o trabalho.

Fonte: Agência Brasil

Categorias
Saúde Destaque3

CFM lança campanha para orientar médicos sobre agressões no ambiente de trabalho

O Conselho Federal de Medicina (CFM) lança nesta quinta-feira (11), uma campanha institucional para orientar os médicos sobre o que pode ser feito em caso de agressões no ambiente de trabalho. Diante de relatos de violência contra esses profissionais, o CFM enviou ofícios aos ministros Sergio Moro (Justiça) e Luís Henrique Mandetta (Saúde), cobrando ampliação da proteção desses profissionais.

Segundo o conselho, a má alocação de recursos contribui para o crescimento do número de agressões e abusos. Entre os pedidos estão o reforço de policiamento nas unidades de saúde e a consolidação, por parte do Ministério da Justiça, de um relatório que possa reunir informações sobre os casos. O documento, argumenta o conselho auxiliaria na elaboração de estratégias mais efetivas de combate aos ataques.

A falta de leitos, medicamentos, insumos e equipamentos é um dos pontos destacados como algo que provoca indignação nos pacientes. Por conta disso, eles acabam se voltando contra os médicos. O conselho pondera, ainda, que os profissionais são responsabilizados até mesmo por reformulações no Sistema de Saúde que desagradam os usuários dos serviços.

Categorias
Saúde Destaque2 Destaque3

Doutor Henrique César diz que governo não criou estrutura para solucionar filas ortopédicas

A quantidade de cirurgias ortopédicas no Ceará é alarmante. O médico e ortopedista Henrique César, em seu comentário no Jornal Alerta Geral desta quinta-feira (28), deu destaque para o tempo de espera que uma pessoa que precisa de um atendimento ortopédico tem.

Segundo Henrique, as emergência ortopédicas ficam concentradas nos Frotinhas de Fortaleza e no Instituto Doutor José Frota, também na Capital. A prática, segundo o médico ortopedista, acaba fazendo com que casos mais simples obstruam as filas de atendimento.

Doutor Henrique fala, ainda, do bom exemplo de Pernambuco, que conta com atendimento ortopédico nas Unidades Públicas de Saúde (UPAs), viabilizando a diminuição das filas. Segundo ele, só na Região Metropolitana de Recife, cinco dessas unidades fazem o atendimento.

Para o médico, as tentativas de solucionar o problema no Ceará gastaram muito e deram poucos resultados. Isso acontece porque, segundo ele, o programa foi idealizado na contramão do que se espera. “Não criou serviços e linhas de cuidado“, enfatizou Henrique.

O Doutor Henrique César deu, ainda, algumas possíveis soluções. Acompanhe no player abaixo:

Médico Ortopedista Henrique César