Categorias
Economia

Com preços altos em abril, tomate pode ficar mais barato em maio

O preço do tomate, que estava pesando no bolso do cearense, está começando a cair em maio. Nas principais centrais de abastecimento o produto já apresentou sinais de queda durante a primeira quinzena deste mês. O tomate chegou a custar mais de R$ 6 em abril em alguns mercados atacadistas, cerca de 70% mais caro se comparado com o mesmo período do ano passado. Os dados são do 5º Boletim Prohort, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O estudo mostra que a cebola também está com preços elevados, mas a expectativa é que tanto a cebola quanto o tomate registrem queda nos próximos dias. De acordo com a gerente de Modernização do Mercado Hortigranjeiro da Companhia, Joyce Rocha Fraga, durante o segundo semestre do ano as condições climáticas são mais favoráveis para produção de hortaliças.

O levantamento é feito mensalmente a partir de informações fornecidas pelos grandes mercados atacadistas do país, em oito estados, entre eles Ceará, Minas Gerais e Pernambuco.

Categorias
Economia

Morango e tomate estão entre os produtos mais caros da Ceasa no Cariri

As hortaliças e as frutas são os produtos que mais apresentam alta nos preços na Ceasa do Cariri, localizado no município de Barbalha. Dentre as frutas que estão em alta, o destaque vai para o morango, o melão japonês e a goiaba. No setor das hortaliças, o destaque para os preços elevados vai para o tomate.

Dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), apontam que a variação do tomate chega a 40%. Por outro lado, o abacate e a batata são os principais produtos que mais apresentam queda nos preços nos últimos dias.

De acordo com a Ceasa Ceará, a alta de preços é resultado das oscilações climáticas, como as fortes chuvas que estão afetando as regiões do Cariri e da Ibiapaba.

Categorias
Estadual Economia

Inflação: Fortaleza apresenta variação do tomate de até 40%, de acordo com a Conab

O 4º boletim Prohort, divulgado nesta terça (16), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), alerta que os consumidores devem se preparar para o reflexo da inflação nas hortaliças, em especial o tomate. Os preços de comercialização desse produto nos principais mercados atacadistas do país nunca estiveram tão altos. A variação do preço do tomate chega 40% em Fortaleza.

No mês passado, a elevação foi registrada em todas as Centrais de Abastecimento (Ceasas) pesquisadas pela Conab. E a tendência é que, segundo o boletim, os preços continuem aumentando em abril. A notícia prejudica a preparação das tradicionais ceias de Páscoa em todo o país. Já na primeira quinzena de abril, o produto registra o maior preço praticado desde o início da série histórica.

“A performance dos preços elevados em março é consequência direta das menores quantidades ofertadas do fruto aos mercados, uma vez que as condições climáticas não favoreceram o desenvolvimento nas lavouras”, explica a gerente de Modernização do Mercado Hortigranjeiro da Conab, Joyce Rocha Fraga.

De acordo com o Boletim, outra hortaliça de destaque foi a batata. Mas, apesar da ascensão de preços desde outubro de 2018, esse movimento de alta tem perdido força.

O levantamento é feito mensalmente pelo Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort) da Conab, a partir de informações fornecidas pelos grandes mercados atacadistas do país dos principais estados como Ceará, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.