Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Após proposta de reforma previdenciária apresentada pelo governo do estado faltando poucos dias para o fim do primeiro ano da atual legislatura para os deputados estaduais, o clima de polêmica é sentido na Assembleia Legislativa.

O jornalista Luzenor de Oliveira durante o Bate Papo Político do Jornal Alerta Geral com o jornalista Beto Almeida, comenta que com o fim das atividades parlamentares deste ano se aproximando, sobra pouco tempo para os parlamentares apreciarem as mudanças nas regras para cobrança, pedida pelo governo do estado, em relação aos pensionistas e aposentados da previdência social do Estado do Ceará.

Confira mais informações com o correspondente do Jornal Alerta Geral, Carlos Alberto:

Criticando a medida, o deputado Renato Roseno (PSOL), acredita que não se justifica a pressa do poder executivo em fazer a adaptação ao texto da constituição do Estado com base em uma norma do Governo Federal que estabelece um prazo de 6 meses para estados realizarem a adaptação do texto constitucional na área previdenciária.

O deputado considera a ação do governo estadual “um ataque aos servidores públicos, desta feita agora no apagar das luzes do período do legislativo […] é um período muito curto para debater com a sociedade e com os servidores, ou seja, é para não fazer debate”.

Para Luzenor as polêmicas demonstram a ação da oposição diante da decisão do governo do estado. “A oposição está cumprindo o seu papel de denunciar eventuais excessos, e ao mesmo tempo, a base do governo quer sim pressa e também o debate sobre essas mudanças na constituição do estado em relação à previdência dos servidores estaduais”.

Beto concorda que a oposição está cumprindo seu papel, mas destaca o papel do governo do estado diante da administração da gestão do estado, sendo essa a responsabilidade do governador Camilo Santana “que tem que agir, e ele vai ser cobrado pelos resultados, por algum tipo futuro de insolvência financeira do estado, pelo equilíbrio fiscal e é tudo isso que a reforma da previdência dos servidores estaduais está discutindo”, afirma Beto.

O jornalista ainda comenta que a reforma da previdência é “um tema desgastante, mexe com o que está estabelecido. Ela mexe com direitos também, não dá pra negar isso. Agora é algo que precisa ser necessário, que se faz necessário? Não é só necessário, é urgente.”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp