Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O processo de adoção no Ceará tem apresentado bons resultados. O prazo máximo de espera na fila de pretendentes à adoção de crianças e adolescentes em Fortaleza diminuiu de oito para quatro anos. Segundo o Ministério Público do Ceará (MPCE), uma das ações que contribuiu para a diminuição de 50% no tempo máximo de espera, desde 2018, foi o projeto Promotores Acadêmicos da Infância.

Segundo o Ministério Público, o projeto produz estudos especializados na área da infância, identificando problemas que possam surgir no andamento dos processos e apontando ações para resolver ou reduzir problemas sociais. Dados do Cadastro Nacional de Adoção (CNA) mostram que 265 crianças e adolescentes no Ceará esperam por um lar.

O projeto Promotores Acadêmicos da Infância seleciona voluntários das áreas de Psicologia, Serviço Social, Pedagogia e Ciências Jurídicas e Sociais para apoiar as atividades das Promotorias de Justiça da Infância e da Juventude. Podem participar estudantes de Ensino Superior ou profissionais já formados, que atuarão de seis meses a dois anos, com carga horária semanal de quatro a oito horas, de forma espontânea, não remunerada e sem vínculo empregatício.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp