Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O que você costuma fazer ao sentir dor ou mal estar no corpo? Mesmo sem prescrição médica, muitas pessoas não pensam duas vezes antes de ir à farmácia e comprar um medicamento na tentativa de aliviar o desconforto. Apesar de comum, a automedicação é uma prática perigosa que oferece inúmeros problemas à saúde e pode, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), matar 10 milhões de pessoas por ano até 2050 em todo o mundo.

Além do risco de morte, uma pessoa que insiste em tomar remédio por conta própria fica suscetível a várias complicações. Entre elas, reações alérgicas, intoxicação e até mesmo dependência. Esse é o alerta feito pela coordenadora de Política de Assistência Farmacêutica da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), Fernanda França.

De acordo com a especialista, a automedicação também pode, a depender do caso, agravar um quadro de saúde.

O uso irracional de medicamentos pode ocasionar o agravamento de uma doença, uma vez que sua utilização indevida faz com que determinados sintomas desapareçam. Dessa forma, a pessoa não vai saber qual problema de fato tem e, com isso, não vai tratá-lo de maneira correta, orienta.

Orientação

Anti-inflamatórios, analgésicos, antibióticos e relaxantes musculares figuram na lista de medicamentos mais utilizados por quem se automedica. Caso uma pessoa passe mal ao se automedicar, ela deve procurar atendimento na unidade de saúde mais próxima. É fundamental levar a caixa ou o frasco do fármaco usado. Com isso, o profissional conseguirá agir de maneira mais rápida para tratar o problema.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp