Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Três trabalhadores foram resgatados de situação análoga à escravidão, na Ramada do Carnaubal, situado na Fazenda Lagoa do Cannes, em Acaraú, 253 km de Fortaleza. A operação de fiscalização foi realizada entre os dias 14 a 25 de agosto e envolveu Ministério do Trabalho,  Ministério Público do Trabalho, a Defensoria Pública da União e a Polícia Federal.

De acordo com relatos dos auditores-fiscais, as vítimas, homens, que trabalhavam na moagem de folhas de carnaúba e na extração do pó para fabricação de cera, estavam submetidos a situação degradante.

Os empregados não dispunham de local para realizar as refeições, não havia instalações sanitárias adequadas para as necessidades fisiológicas e higiene pessoais. Os moedores de palha eram obrigados a pernoitar na própria frente de trabalho sem dormitório apropriado. Para dormir,  usavam o interior do baú de um velho caminhão e, ainda,  dividiam o pequeno espaço com um máquina de moagem, galões de água e pertences pessoais.

O interior do veículo estava infestado de pó e resíduo de palha,  a ventilação era precária e não tinha isolamento térmico situação que expunha os obreiros a temperaturas extremas de calor durante o dia e frio à noite.

Os empregadores foram notificados a pagar rescisões no valor bruto de R$ 9.963,32 e indenização de R$ 15 mil aos trabalhadores por dano moral. A operação alcançou 39 empregados, dos quais cinco foram registrados no ato da fiscalização.