Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O grande número de casos de violência contra a mulher, a hipersexualização do corpo feminino nos meios de comunicação e a limitada representatividade feminina nos espaços políticos e acadêmicos é uma realidade em muitas regiões do Brasil. A naturalização dessas situações e os constantes relatos de casos de agressões domésticas informados por mulheres em Senador Pompeu (CE), incomodaram um grupo de alunas do Ensino Médio da Escola Estadual de Educação Profissional Professor José Augusto Torres. Pensando em transformar essa realidade e promover o diálogo sobre igualdade de direitos, as jovens criaram o projeto “Centro de Pesquisa Continuada pela Igualdade de Gênero Nísia Floresta”, um dos 11 premiados da 4ª edição do Desafio Criativos da Escola.

Para definir a forma de atuação do grupo – o primeiro centro de estudos e pesquisas a questionar a situação feminina na escola e na região – as participantes decidiram se apropriar do tema a partir de leituras e consumo de filmes sobre a história do sufrágio feminino, além de mergulharem em pesquisas sobre casos de violência contra a mulher no estado do Ceará. Depois, aplicaram uma pesquisa na própria escola para mapear a realidade da violência de gênero sofrida pelas colegas. Para ajudar, passaram a divulgar o “Violentômetro”, uma ferramenta inovadora que auxilia mulheres a identificarem ações e comportamentos típicos de parceiros abusivos.

Os resultados dessa pesquisa foram apresentados durante a semana escolar “Maria da Penha”, e apontavam que muitas adolescentes eram vítimas desse tipo de violência. Para apoiá-las, o grupo promoveu debates, inclusive em outros colégios, e trabalhou temas relacionados ao feminismo. Após essas rodadas, o próximo passo será escrever um livro que reúna histórias e depoimentos potentes compartilhados nessas conversas, que contam com a presença de figuras de destaque na comunidade.

Esta é a quarta vez consecutiva que um projeto do Ceará é premiado no Desafio Criativos da Escola. Este ano, inclusive, a cerimônia de premiação dos 11 projetos selecionados será no dia 4 de dezembro, no Teatro Câmara, em Fortaleza, com a participação de três estudantes e um educador de cada um dos grupos selecionados. A transmissão do evento será feita ao vivo pelo canal do Youtube do Criativos da Escola.

Pelo terceiro ano consecutivo, o Desafio contou com o apoio do programa Parceria Votorantim pela Educação, do Instituto Votorantim, nos 105 municípios onde desenvolve suas atividades. Um dos 11 projetos selecionados é fruto dessa parceria.

Sobre o Instituto Alana

O Instituto Alana é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que aposta em programas que buscam a garantia de condições para a vivência plena da infância. Criado em 1994, é mantido pelos rendimentos de um fundo patrimonial desde 2013. Tem como missão “honrar a criança”.