Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A votação da proposta da reforma da Previdência pode ficar para o segundo semestre. A ideia está sendo discutida pelos líderes da base aliada juntamente com o Palácio do Planalto. As resistências dos parlamentares e a forte oposição popular ao projeto, seria o motivo principal do adiamento da votação da matéria, que estava marcada para o início de maio.

O Planalto entende que o prazo é muito curto para angariar apoios e aprovar a matéria. Com isso, a análise, em plenário, poderá ocorrer somente em junho e a votação dos meses seguintes, após o recesso.

Enquanto isso, o Governo planeja massificar uma campanha em rádio, TV e jornal em todo o País, na tentativa de mostrar os ganhos que poderão advir com a aprovação da Reforma. Para tentar reduzir as resistências, o governo já realizou algumas ações, como a liberação de cargos e emendas para parlamentares e a modificação de vários pontos considerados cruciais, como; as regras para aposentadoria rural, regras de transição, idade mínima para aposentar-se e o Benefício de Prestação Continuada (BPC).