Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

As análises automáticas de pedidos de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social ainda podem ser a saída para o apagão no atendimento gerado pela falta de funcionários, possibilitando que ao menos parte dos 1,7 milhão de segurados que esperam resposta do órgão consigam furar essa fila.

Iniciadas em maio de 2018, as concessões feitas por computadores não chegaram perto de substituir a necessidade de abertura de concursos públicos para contratar pessoal. Mas as decisões de processos sem interação humana avançaram.

O INSS informou que as concessões automáticas deverão aumentar a partir da adaptação dos sistemas da empresa de tecnologia da Previdência às regras que entraram em vigor em 13 de novembro de 2019, data de publicação da reforma da Previdência. A expectativa do governo é que a adaptação dos sistemas à reforma ocorra até o final de março.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp