Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Segundo dados divulgados nessa sexta-feira, 6, pela Secretaria Pública e Defesa Social (SSPDS), o número de crimes violentos caiu 13,6%  em Fortaleza em março passado em comparação ao mesmo mês do ano passado. Em março foram registrados 133 casos, já no mesmo período do ano anterior, 154.

Em entrevista coletiva, o secretário da Segurança Pública, André Costa, atribuiu o resultado, principalmente, à intensificação do Policiamento Ostensivo Geral (POG) da Polícia Militar do Ceará (PM-CE) dentro de comunidades da Capital. São elas: Babilônia, Gereba, Jagatá, Alameda das Palmeiras, Maria Tomásia, Residencial Euclides Ferreira Gomes, Lagamar, Lagoa do Urubu, Jardim Iracema e Álvaro Weyne. “A gente identifica os locais de conflito não só com base em manchas de crime, de violência, de homicídios, mas também com as pichações que se fazem em muros”, explica Costa, referindo-se às marcações com nomes de facções criminosas.

Além disso, ele destacou o trabalho da Polícia Civil na “quebra da estrutura criminosa, de identificar quem são as principais lideranças”. Nestes locais, conforme o secretário, o órgão trabalha, por exemplo, com ocorrências relacionadas à injúrias ou ameaças, com objetivo de identificar os autores.

Acumulado de janeiro a março no Ceará 

Já o Estado do Ceará não acompanhou o ritmo de Fortaleza. O último mês registrou 414 mortes contra 358 do ano passado, um aumento de 15,6%. No acumulado de homicídios do último trimestre, o Estado soma 1.258 mortes, sendo 418 em Fortaleza, 368 na Região Metropolitana, 248 no Interior Norte e 224 no Interior Sul. Nos mesmos três meses do ano anterior, foram contabilizadas 976 mortes no Ceará. Deste número, 366 ocorreram em Fortaleza, 225 na Região Metropolitana, 159 no Interior Norte e 226 no Interior Sul. O aumento é de 28,9%.

Para o secretário, o trabalho que se desempenha em Fortaleza tem que se estender para todo o território estadual. “Foi sempre a proposta, mas agora, com grande efetivo, tivemos só no final do ano mais de 2.700 novos policiais, então isso tem nos permitido manter o patrulhamento de viaturas, mas além disso também territorializar a Polícia nessas áreas. Então, esse modelo precisa ser levado também para o Interior e para a Região Metropolitana”.

Roubos e furtos 

Em Fortaleza, Crimes Violêntos contra o Patrimônio (CVP), que representam os roubos e furtos, reduziram em 9,5% em Fortaleza e 10,6% no Ceará – latrocínios não entram na contagem. Na Capital, a queda foi de 3.994 em março de 2017 para 3.614 no último mês.  No Estado, a diminuição foi de 6.488 em março de 2017 para 5.800 no mesmo mês de 2018.

Com informações do Jornal O Povo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp